Escuta Israel: «Cuida de pôr em prática o que te vai tornar feliz» (Dt 6,3a). Dito desta forma, os mandamentos da lei de Deus, soam a algo apetecível. Quem não quer ser feliz?

O benefício justifica o risco de aprofundarmos um pouco mais a palavra de Deus hoje proclamada.

O primeiro mandamento é este: «O Senhor nosso Deus é o único Senhor. “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças”. O segundo é este: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Não há nenhum mandamento maior que estes.»

Dito de outra forma, amar a Deus e amar o próximo. Dito ainda de outra forma, escutar a Deus e ama-lo no próximo. Ou ainda, escutar e amar a Deus e ao próximo. Por mais voltas que se dê, a escuta parece condição para o amor.

Primeiro, porque a voz de Deus é manifestação da sua vontade mas também canal da sua graça, que nos torna capazes de amar; segundo, porque nos projeta em direção ao outro.

Queres ser feliz? Escuta e ama!

Obedecer (latim: ob-audire) aos mandamentos de Deus não é mais do que escutar com assentimento, acolher a sua palavra e a sua vontade, não como um fardo, mas como fonte de graça. Escutar a voz de Deus é já amá-lo. Desse modo, mesmo no meio de tribulações e angústias, sabemos que “o nosso coração está em Deus”, terra prometida onde corre «leite e mel».

Não se tratar de obedecer por medo ou obrigação, pois o verbo ‘temer’, de Moisés, deu lugar ao verbo ‘amar’, de Jesus, mas, antes, por reconhecermos nos mandamentos um caminho de vida, vida que é sempre resposta ao amor com que Deus nos criou. Se não escutarmos a voz de Deus, a nossa vida torna-se uma resposta a quê e a quem?

Portanto, quem não escuta Deus não pode saber a que deve obedecer, a que deve assentir, o que deve acolher como algo que lhe pode trazer a verdadeira felicidade e o que deve amar.

Mas afinal o que é a voz de Deus?

• É «o murmúrio de uma brisa suave» (Cf. 1 Rs 19,12a)
• É narrativa - bíblica - que penetra e salva
• Para o escultor Rui Chafes, é «o vento nas folhas»
«É voz que soa no momento oportuno» (Cf. Gaudium et spes, 16)
• No tempo de João Baptista, «voz que clama no deserto»
• Para Fernando Pessoa, Aquele que se faz ouvir «num poço tapado»
• Mas nós sabemos não ser eco da nossa voz
• É o silêncio que habita o espaço
• É pergunta às minhas certezas
• É a determinação de um amigo bispo – Dom Basílio do Nascimento – que ontem faleceu
• É seta que indica o Caminho
• É grito dos Profetas e coragem dos Apóstolos
• É a vida de Jesus
• É o mundo que nos conduz a Ele
• É a abertura ao outro onde se concretiza o amor a Deus

Boa parte da sociedade contemporânea, movida por modas preconceituosas que fazem de nós fotocópias uns dos outros em vez de seres únicos e irrepetíveis, recusa ouvir a voz de Deus, acabando por se tornar também mouca ao grito da terra e dos pobres. O “eu não quero nada com Deus e a religião” torna-se, quase impercetivelmente, num “não quero nada com os outros que não me tratem como um deus”. E, assim, perde-se facilmente entre vozes que já se viu não trazerem felicidade, até se perder totalmente em pseudónimos de uma só voz, a sua própria, ídolo e refém de si mesmo. A sua vida é resposta a algoritmos e redes sociais.

Andaremos a ouvir vozes erradas?

Andarei a ouvir vozes erradas?

Ou encontro na voz de Deus a minha força e a minha alegria?

Vale a pena rezar novamente o salmo deste domingo (18/17, 2-3.4.47.50-51ab):

Eu Vos amo, Senhor, minha força,
minha fortaleza, meu refúgio e meu libertador,
meu Deus, auxílio em que ponho a minha confiança,
meu protetor, minha defesa e meu salvador. Refrão

Invoquei o Senhor – louvado seja Ele –
e fiquei salvo dos meus inimigos.
Viva o Senhor, bendito seja o meu protetor;
exaltado seja Deus, meu salvador. Refrão

Senhor, eu Vos louvarei entre os povos
e cantarei salmos ao vosso nome.
O Senhor dá ao seu Rei grandes vitórias
e usa de bondade para com o seu Ungido. Refrão

 

Leituras:

LEITURAS: 1ª: Dt 6,2-6. Salmo 18/17,2-3.4.47.50-51ab. R/ Eu Vos amo, Senhor: Vós sois a minha força. 2ª: Heb 7,23-28. Evº: Mc 12,28b-34. III Sem. do Saltério.

 

* Os Capuchinhos em Portugal assumem a gestão editorial do sítio capuchinhos.org, mas os textos de opinião vinculam apenas os seus autores.