O prefeito do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização disse que os participantes na Missa do Domingo da Palavra de Deus, no Vaticano, vão receber uma edição especial da Bíblia, autografada pelo Papa.

“Lê a palavra de Deus que tens entre as mãos e escuta a voz do Senhor que te indica o caminho da vida. Domingo da Palavra de Deus, 26 de janeiro de 2020”, é a mensagem que Francisco escreve em cada exemplar da Bíblia, editada para assinalar a primeira vez desta iniciativa do Papa, anunciou D. Rino Fisichella, em conferência de imprensa.

No dia 17, em declarações aos jornalistas, na Sala de Imprensa da Santa Sé, o responsável pela dinamização do Domingo da Palavra de Deus divulgou todo o programa do dia 26, que vai decorrer no Vaticano, durante a manhã, e na Praça Navona, em Roma, onde diferentes personalidades vão fazer a leitura continuada do Evangelho de Mateus, de tarde, na igreja Sant’Agnese.

O Papa Francisco preside à Eucaristia do Domingo da Palavra de Deus na Basílica de São Pedro, no Vaticano, onde estará presente uma delegação do Santuário de Nossa Senhora de Knock, da Irlanda, assim como uma imagem da “Senhora do Silêncio”, aí evocada após as aparições de 1879.

O prefeito do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização disse também que na Missa do dia 26 de janeiro, o Lecionário que vai fazer parte do cortejo de entrada da celebração é o que foi utilizado em todas as sessões do Concílio Vaticano II e, no fim da celebração, o Papa vai entregar a edição especial da Bíblia a 40 pessoas que representam diferentes setores da vida quotidiana.

Em setembro de 2019, o Papa Francisco divulgou a carta apostólica ‘Aperuit illis’ (‘Abriu-lhes o entendimento’) onde anuncia a instituição de um “Domingo da Palavra de Deus”, celebração anual nas comunidades católicas que visa promover a “familiaridade” com a Bíblia.

“A Bíblia não pode ser património só de alguns e, menos ainda, uma coletânea de livros para poucos privilegiados”, escreve Francisco nesse documento, acrescentando que a celebração do Domingo da Palavra de Deus acontece em cada ano no III Domingo do Tempo Comum do calendário litúrgico, visando “a celebração, reflexão e divulgação da Palavra de Deus”.

Na conferência de imprensa de apresentação desta iniciativa do Papa, D. Rino Fisichella lembrou o caráter ecuménico desta iniciativa, que acontece numa ocasião do ano em que decorrem tradicionalmente iniciativas que visam o diálogo entre confissões cristãs e com o mundo judaico, assim como o Oitavário de Oração pela Unidade dos Cristãos.

O prefeito do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, que dinamiza esta jornada e distribui subsídios que ajudam à sua celebração, o objetivo do Domingo da Palavra de Deus é “provocar todos os cristãos a não colocar a Bíblia como um dos tantos livros nas estantes de casa, cheios de pó, mas um instrumento que anima a nossa fé”.

Em declarações aos jornalistas, na Sala de Imprensa da Santa Sé, D. Rino Fisichella enumerou algumas iniciativas que vão assinalar, em todo o mundo, o Domingo da Palavra de Deus, como por exemplo os 150 mil subsídios divulgados no Brasil, a proposta dos conteúdos bíblicos em marionetas, para as crianças, na Colômbia, a Jornada Internacional da Bíblia nos EUA ou a Semana Nacional da Bíblia anunciada pelo ministro do Interior das Filipinas, entre os dias 20 e 26. deste mês de janeiro.