Os Capuchinhos em Jerusalém

O bairro de Talbiya, em Jerusalém, onde se encontra o convento dos Capuchinhos, está muito perto do centro da Cidade Antiga, a cerca de 20 minutos a pé do Santo Sepulcro. O bairro apresenta muitos e belos edifícios, a maior parte dos quais foi construída utilizando a típica pedra branca local.

O convento encontra-se numa zona hebraica, considerada uma das principais áreas de Jerusalém, com parques, campos de jogos e lugares para lazer.

O terreno em que se encontra o convento foi adquirido pelos Capuchinhos em 1931, e concluído com a assinatura do Bem-aventurado Tiago de Ghazir em 1932. Neste terreno, deveriam ser construídos uma “domus religiosa” e um colégio, tendo, assim, um lugar em que os frades capuchinhos pudessem especializar-se no estudo da Bíblia.

A igreja e o convento foram concluídos em 1937, mas foram imediatamente solicitados pelas autoridades britânicas para fins militares, as quais ocuparam o local até 1948. De 1948 a 1999, o edifício foi ocupado pelo novo Estado de Israel, que aí fez uma clínica psiquiátrica. Foi apenas em 1999, após um longo e árduo período de altos e baixos, que toda a propriedade foi restituída aos frades capuchinhos. O convento passou por uma reforma nos anos 2007-2010, quando se tornou um centro de espiritualidade e de estudos bíblicos.

O convento dos Capuchinhos em Jerusalém hoje estende-se por cerca de cinco acres de terra. Conhecido pelo seu silêncio e serenidade, o convento é o lugar ideal para um retiro espiritual. Ele compreende:

  1. “Eu sou a luz do mundo”: um centro de espiritualidade, para o qual o convento ocupa uma ala. O campus é dotado de amplos caminhos, esplêndidos jardins com variedades de flores e cercas-vivas, um horto, um vinhedo, árvores frutíferas e enormes pinheiros.
  2. Outras congregações religiosas: há outras três comunidades que vivem no nosso campus, independentes de nós: as Irmãs Franciscanas da Eucaristia (três irmãs); as Irmãs Ursulinas (três irmãs) e dois sacerdotes da Congregação de Giuseppe Dossetti.
  3. Colaboração com o Patriarcado Latino: fornecemos espaço e edifícios para quatro projetos distintos: Santa Raquel, que fornece assistência à infância para os trabalhadores imigrantes; Anjos da Guarda, para filhos de famílias desestruturadas ou pais solteiros em crise; Santas Marta e Maria, para religiosos ou pessoas que discernem uma vocação e que ajudam nos projetos acima; o quarto projeto está em fase de desenvolvimento.

Hoje, o Convento depende diretamente do Ministro Geral e a Fraternidade local é internacional. Há frades provenientes de províncias de todo o mundo: entre elas, diversas províncias da Índia, do Zimbábue, da Itália e do México.

Alguns frades ocupam-se da gestão do centro e da fraternidade, outros são estudantes de estudos bíblicos e outros, ainda, prestam serviço aos trabalhadores imigrantes indianos em Israel, nas línguas concani e malaiala.

O convento é também um lugar de formação permanente da Ordem. O Secretário Geral para a Formação oferece um curso de um mês a três grupos distintos: um em italiano, um em espanhol e português, e um em inglês e francês.

A conferência regional da CENOC (Conferentia Europae Nordico-Occidentalis Capuccinorum) leva aí os frades do pós-noviciado para formação durante dez dias por ano, em ordem a preparar a sua profissão perpétua.

Outros frades capuchinhos vêm e permanecem aqui connosco durante o ano sabático, para retiros, para ensinar nos seminários, etc. Alguns também vêm com os seu próprios grupos para conduzir retiros, exercícios espirituais ou simplesmente para participar de celebrações litúrgicas especiais e estar com o Senhor nos lugares santos.

O centro de espiritualidade chama-se “Eu sou a luz do mundo”. É utilizado por bispos, sacerdotes, seminaristas e outros religiosos para anos sabáticos, estudos, breves cursos e exercícios espirituais. O convento, contudo, não é para grupos de peregrinos.

A estrutura foi utilizada para encontros por estudantes de teologia salesianos e frades menores, agentes de pastoral em Israel, religiosos africanos em Israel, católicos de língua hebraica, etc. O centro dispõe de 26 quartos, dos quais sete individuais, onze duplos, dois triplos e seis podem acolher quatro ocupantes cada; no total, há 59 vagas. Todos os quartos são dotados de casa de banho (privada), são espaçosos, bem arejados e com controle individual de temperatura. A Igreja é espaçosa, bela, moderna, e combina o nosso ambiente hebraico com uma estimulante arte cristã. No interior da igreja, há uma bela capela, onde os frades celebram a Liturgia duas vezes ao dia.

O refeitório pode acolher comodamente sessenta pessoas. A “minibiblioteca” e a sala de estar proporcionam aos nossos hóspedes um amplo espaço para debates em grupos menores. A sala maior pode acolher cerca de cem pessoas.

Convidamos todos a visitar os Capuchinhos em Jerusalém e a agendar os seus retiros espirituais, encontros, etc. Esperamos vê-los em breve! O Senhor os abençoe abundantemente, agora e sempre.

 

Fotos:

Os Capuchinhos em Jerusalém

Os Capuchinhos em Jerusalém

O bairro de Talbiya, em Jerusalém, onde se encontra o convento dos Capuchinhos, está muito perto do centro da Cidade Antiga, a cerca de 20 minutos a pé do Santo Sepulcro. O bairro apresenta muitos e belos edifícios, a maior parte dos quais foi construída utilizando a típica pedra branca local.

O convento encontra-se numa zona hebraica, considerada uma das principais áreas de Jerusalém, com parques, campos de jogos e lugares para lazer.

O terreno em que se encontra o convento foi adquirido pelos Capuchinhos em 1931, e concluído com a assinatura do Bem-aventurado Tiago de Ghazir em 1932. Neste terreno, deveriam ser construídos uma “domus religiosa” e um colégio, tendo, assim, um lugar em que os frades capuchinhos pudessem especializar-se no estudo da Bíblia.

A igreja e o convento foram concluídos em 1937, mas foram imediatamente solicitados pelas autoridades britânicas para fins militares, as quais ocuparam o local até 1948. De 1948 a 1999, o edifício foi ocupado pelo novo Estado de Israel, que aí fez uma clínica psiquiátrica. Foi apenas em 1999, após um longo e árduo período de altos e baixos, que toda a propriedade foi restituída aos frades capuchinhos. O convento passou por uma reforma nos anos 2007-2010, quando se tornou um centro de espiritualidade e de estudos bíblicos.

O convento dos Capuchinhos em Jerusalém hoje estende-se por cerca de cinco acres de terra. Conhecido pelo seu silêncio e serenidade, o convento é o lugar ideal para um retiro espiritual. Ele compreende:

  1. “Eu sou a luz do mundo”: um centro de espiritualidade, para o qual o convento ocupa uma ala. O campus é dotado de amplos caminhos, esplêndidos jardins com variedades de flores e cercas-vivas, um horto, um vinhedo, árvores frutíferas e enormes pinheiros.
  2. Outras congregações religiosas: há outras três comunidades que vivem no nosso campus, independentes de nós: as Irmãs Franciscanas da Eucaristia (três irmãs); as Irmãs Ursulinas (três irmãs) e dois sacerdotes da Congregação de Giuseppe Dossetti.
  3. Colaboração com o Patriarcado Latino: fornecemos espaço e edifícios para quatro projetos distintos: Santa Raquel, que fornece assistência à infância para os trabalhadores imigrantes; Anjos da Guarda, para filhos de famílias desestruturadas ou pais solteiros em crise; Santas Marta e Maria, para religiosos ou pessoas que discernem uma vocação e que ajudam nos projetos acima; o quarto projeto está em fase de desenvolvimento.

Hoje, o Convento depende diretamente do Ministro Geral e a Fraternidade local é internacional. Há frades provenientes de províncias de todo o mundo: entre elas, diversas províncias da Índia, do Zimbábue, da Itália e do México.

Alguns frades ocupam-se da gestão do centro e da fraternidade, outros são estudantes de estudos bíblicos e outros, ainda, prestam serviço aos trabalhadores imigrantes indianos em Israel, nas línguas concani e malaiala.

O convento é também um lugar de formação permanente da Ordem. O Secretário Geral para a Formação oferece um curso de um mês a três grupos distintos: um em italiano, um em espanhol e português, e um em inglês e francês.

A conferência regional da CENOC (Conferentia Europae Nordico-Occidentalis Capuccinorum) leva aí os frades do pós-noviciado para formação durante dez dias por ano, em ordem a preparar a sua profissão perpétua.

Outros frades capuchinhos vêm e permanecem aqui connosco durante o ano sabático, para retiros, para ensinar nos seminários, etc. Alguns também vêm com os seu próprios grupos para conduzir retiros, exercícios espirituais ou simplesmente para participar de celebrações litúrgicas especiais e estar com o Senhor nos lugares santos.

O centro de espiritualidade chama-se “Eu sou a luz do mundo”. É utilizado por bispos, sacerdotes, seminaristas e outros religiosos para anos sabáticos, estudos, breves cursos e exercícios espirituais. O convento, contudo, não é para grupos de peregrinos.

A estrutura foi utilizada para encontros por estudantes de teologia salesianos e frades menores, agentes de pastoral em Israel, religiosos africanos em Israel, católicos de língua hebraica, etc. O centro dispõe de 26 quartos, dos quais sete individuais, onze duplos, dois triplos e seis podem acolher quatro ocupantes cada; no total, há 59 vagas. Todos os quartos são dotados de casa de banho (privada), são espaçosos, bem arejados e com controle individual de temperatura. A Igreja é espaçosa, bela, moderna, e combina o nosso ambiente hebraico com uma estimulante arte cristã. No interior da igreja, há uma bela capela, onde os frades celebram a Liturgia duas vezes ao dia.

O refeitório pode acolher comodamente sessenta pessoas. A “minibiblioteca” e a sala de estar proporcionam aos nossos hóspedes um amplo espaço para debates em grupos menores. A sala maior pode acolher cerca de cem pessoas.

Convidamos todos a visitar os Capuchinhos em Jerusalém e a agendar os seus retiros espirituais, encontros, etc. Esperamos vê-los em breve! O Senhor os abençoe abundantemente, agora e sempre.

 

Fotos: