O homem põe e Deus dispõe. Mais uma vez se concretizou este dito da sabedoria simples do povo. Atingidos por uma terrível pandemia, causadora duma tempestade planetária, sôfregos na escuta das informações provenientes das instituições de pesquisa e dos cientistas, absorvidos pelas tristes notícias sobre milhões de infetados e milhares de mortos, reveladoras da fragilidade da condição humana, a família dos Franciscanos Capuchinhos recebeu este momento de alegria, esperança e conforto com a Ordenação Diaconal do Fr. Aventino Alves Gusmão, natural de Timor-Leste. Programada para o passado dia 26 de Abril, só agora se pôde concretizar.

A celebração aconteceu no domingo, dia 13 de setembro de 2020, na igreja da Paróquia da Sagrada Família do Calhariz de Benfica, em Lisboa, com início às 19 horas. Com o estado do tempo ameno e agradável, partiu a procissão pela faixa central da igreja até ao altar, onde se iniciou o solene pontifical litúrgico, presidido pelo Bispo Emérito de Viana, Angola, Dom Joaquim Lopes, OFMCap. Antes e a introduzir a celebração, tomou a palavra o Fr. António Martins, pároco que, além duma palavra de saudação e de acolhimento aos fiéis, fez uma breve apresentação do candidato, e alertou também para o cumprimento das normas sanitárias em vigor. A abrilhantar a celebração esteve o grupo coral paroquial, com boa harmonização e equilíbrio entre as vozes, tendo ao órgão o Fr. Luís Leitão, e dirigido pelo maestro Arlindo. Além do Presidente da celebração, concelebraram os seguintes sacerdotes: Fr. Fernando Alberto Pedrosa, Ministro Provincial, OFMCap, Fr. César Pedrosa, Vigário Paroquial, Fr. Manuel Rito, Administrador do Centro Bíblico, em Fátima, Pe. Mário Cabral da diocese de Baucau (Timor-Leste), o diácono Vasco, da paróquia de Benfica, que assistiu ao senhor Bispo e um grande número de Acólitos. O número de fiéis participantes, todos usando máscaras, por recomendação das autoridades sanitárias, foi restrito, em virtude da pandemia. Também marcou presença o Fr. Jerónimo Pereira (Timor-Leste), a viver em Gondomar, algumas irmãs religiosas e alguns familiares do candidato. No controlo das medidas sanitárias, estiveram os Escuteiros.

Na sua homilia, situando o contexto litúrgico do 24º domingo do tempo comum e a Ordenação Diaconal, Dom Joaquim falou da sabedoria que, segundo o Eclesiástico, “concede ao homem crente em Javé a capacidade de compreender o mundo, a condição humana, a justiça, a equidade e todas as virtudes, isto é, de ser um sábio”. No Evangelho, sublinhou que o apóstolo Pedro, ao perguntar se se poderia perdoar até sete vezes, é revelador de que “já tinha entrado noutra dinâmica, mas ainda não tinha dominado totalmente o pensamento do Mestre”. Sobre o perdão, afirmou que só quando é dado aos outros de todo o coração, é que “o homem se assemelha a Deus e se aproxima d’Ele, confiante em que será perdoado na proporção direta em que também tiver perdoado aos outros.”

Concluiu a homilia com a seguinte exortação: “Caríssimo frei Aventino vais ser elevado a um ministério que se insere na história que traçamos antes. Mas não se trata de uma promoção no sentido vulgar e ordinário do termo. O que tu vais ser é despromovido, isto é, de uma certa vida que tens levado no relacionamento com os outros, vais agora transformar-te em servo, criado, serviçal e não Senhor, Patrão, Dono. Vais ser fortalecido com os dons do Espírito Santo e deves ajudar o Bispo e os Presbíteros no serviço da palavra, do altar e da caridade, sendo servo de todos.” (n O texto da homilia pode ser consultado na íntegra ao fundo desta página).

A celebração prosseguiu com a liturgia da Ordenação, incluindo a súplica litânica (canto das Ladainhas pelo Fr. Luís Leitão), a Oração Consecratória, o novo Diácono revestido com a Estola e a Dalmática e a entrega do Livro dos Evangelhos. Após a Ordenação, o novo Diácono passou a estar ao lado do Bispo.

No final da liturgia, foi dada a palavra ao novo Diácono, o qual afirmou ser este o momento mais feliz da sua vida, recordando, como memória e atitude de gratidão, os vários passos dados e as pessoas que o acompanharam no seu caminho vocacional, que passou por Laleia, Díli, Tibar, Medan (Indonésia), Porto, Gondomar e Lisboa, palavras muito sentidas que foram coroadas com o aplauso da assembleia. Finalmente o Fr. Fernando Alberto Pedrosa, Ministro Provincial, com palavras breves, referiu a chegada dos primeiros Missionários Capuchinhos a Timor, em 2003, do qual ele fazia parte, e manifestando-se feliz por ver já tantos frutos, com muitos professos timorenses, entre os quais três Diáconos. Com a bênção final e a despedida, concluiu-se a celebração, que foi intensamente vivida por toda a assembleia, unida numa mesma comunhão orante por este novo servo que se dispõe a servir a Deus, a Igreja e o Povo de Deus. Seguiu-se a assinatura do documento da “Matrícula” (Patriarcado) e da “Ata da Ordenação”. Ainda houve tempo para um momento de convívio, realizado nos espaços da fraternidade que, por causa da situação sanitária pandémica, contou apenas com a presença de alguns convidados.

Fr. AVENTINO ALVES GUSMÃO nasceu em Ossu, Uabubo, Diocese de Baucau (Timor-Leste). Fez os estudos primários na Escola de Santa Teresinha do Menino Jesus em Ossu (1998) e os estudos secundários na Escola de Olocassa (2005), Diocese de Baucau (Timor-Leste). Curso de Filosofia (início em Dili, Timor, no Instituto de Filosofia e Teologia Dom Jaime Garcia Goulart; e concluído na Faculdade de Letras, da Universidade do Porto). Curso de Teologia na UCP (Porto e Lisboa). Iniciou a sua caminhada vocacional na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Timor-Leste (Postulantado, na Paróquia de Suku de Motael, Casa de São Francisco de Assis, em 2008; e Convento dos Capuchinhos de Tibar, em 2009). Em 2010 fez o Noviciado, na Fraternidade dos Capuchinhos em Laleia (Diocese de Baucau), onde emite os seus primeiros Votos Religiosos no dia 14/08/2011. A sua Profissão Religiosa Perpétua foi celebrada no dia 02/07/2017, no convento dos Capuchinhos do Amial, Porto. Instituído Leitor no dia 03 de Fevereiro de 2019 (na Paróquia da Sagrada Família do Calhariz de Benfica), e Acólito no dia 23 de Abril de 2019 (Igreja de São Paulo, Diocese de Lisboa).

 

Homilia

icon pdf 100px