O aniversário da aprovação eclesial da reforma capuchinha com a Bula “Religionis Zelus” (3 de julho de 1528) é a ocasião para celebrar a festa da nossa família espiritual. Uma família que une os frades capuchinhos, as irmãs contemplativas associadas, os institutos de vida consagrada, religiosos e seculares, agregados à Ordem, as associações de fiéis e as instituições laicais nascidas ou acompanhadas pelos Capuchinhos.

Este encontro chama-nos a recordar a nós mesmos a nossa pertença espiritual e a reavivar as nossas relações recíprocas em vários níveis: geral, regional e local. Queremos agradecer, partilhar e projetar, a partir das nossas raízes comuns, para continuarmos a construir a nossa história de relações fraternas. As precauções sanitárias diante da atual pandemia global desaconselham os encontros face a face, mas não nos impedem de nos sentirmos em comunhão, especialmente através da oração. Por este motivo, em 3 de julho, propomos rezar em cada fraternidade, fazendo memória grata dos membros da nossa família espiritual.

Um motivo especial de alegria partilhada é a iminente canonização de Madre Francisca Rubatto, fundadora das Irmãs Capuchinhas de Loano: agradeçamos ao Senhor! Continuemos a rezar assiduamente pela solícita beatificação de Madre Maria Lourença Longo, fundadora do primeiro mosteiro das Clarissas Capuchinhas em Nápoles, e pelo progresso da causa de tantos fundadores e fundadoras.

Peçamos que, neste 3 de julho, o Senhor reacenda em nós o fogo do seu Espírito.

Fraternalmente,

Fr. Leonardo Ariel González Ruilópez, OFMCap
Delegado do Ministro Geral
para as Monjas Capuchinhas
e os Institutos agregados à Ordem

 

Oração pelo Dia da Família Capuchinha

ACENDEI EM NÓS O FOGO

Ó Espírito Santo,
enchei os corações dos vossos fiéis
e acendei em nós aquele mesmo fogo,
que ardia no coração de Jesus,
enquanto ele falava do reino de Deus,
enquanto anunciava a todos a boa nova:
“Ao vosso Pai aprouve dar-vos o seu reino…
todos vós sois irmãos!”

Fazei que este fogo seja transmitido a nós,
como foi transmitido a Francisco e Clara,
como foi aceso nos primeiros capuchinhos,
como inflamaram de ardor os fundadores e as fundadoras
da nossa família espiritual.

Só vós, Espírito Santo,
podeis acendê-lo,
e a vós, portanto, voltamos a nossa fraqueza,
a nossa pobreza, o nosso coração apagado,
para que vós o reacendais com o calor,
com a santidade da vida, com a força do reino.

Dai-nos, Espírito Santo,
de modo novo, o Carisma
para ser acolhido em nossa vida concreta,
para pô-lo a serviço da Igreja,
para restitui-lo aos pobres, aos últimos.

Nós vos pedimos
pela intercessão de Maria, mãe de Jesus,
cheia de graça e comunhão,
modelo da Igreja servidora e fraterna. Amém.

(Adaptação de uma oração do Card. Carlo M. Martini)

 

Anos anteriores

» 3 de julho de 2019