No dia 27 de dezembro, realizou-se, no Centro Bíblico, em Fátima, o Encontro Provincial de Natal dos Capuchinhos. Neste mesmo dia, também em Tibar, Timor-Leste, se reuniram os Irmãos Capuchinhos das duas fraternidades existentes, para um encontro natalício de reflexão, celebração e convívio.

Em Fátima, os Irmãos concentraram-se pelas 10h00. O Ministro provincial abriu o programa do encontro com uma saudação natalícia. Seguiu-se, até ao fim da manhã, a partilha do estudo que as fraternidades fizeram da Exortação Apostólica Pós-Sinodal “Christus vivit”, individuando desafios e concretizações para a vida da(s) fraternidade(s) e da Província. A esta partilha seguiu-se um tempo de diálogo sobre este assunto da realidade e pastoral juvenil e outros da vida dos Irmãos, das fraternidades e da Província.

Após o almoço, no qual as fraternidades partilharam alguma das iguarias de Natal, fez-se a visita ao novo espaço da coleção visitável de presépios chamada “Evangelho da Vida”, cujas obras estão em fase de acabamento para a inauguração em 4 de Janeiro. O Fr. Lopes Morgado, iniciador e grande impulsionador desta coleção, fez de cicerone, explicando todos os passos do itinerário da visita: as fontes, a promessa, o cumprimento, o anúncio, São Francisco e o presépio. A visita concluiu-se dentro da gruta, que ocupa o centro deste novo espaço, com a oração litúrgica da Hora Intermédia, em tom natalício e franciscano.

Às 15h30 iniciou-se a celebração da Eucaristia, presidida pelo Ministro provincial, na Igreja Paroquial de Fátima, onde os Irmãos foram calorosamente acolhidos pelo Pároco, o sacerdote claretiano Pe. Rui Marto. Terminada a Eucaristia, os Irmãos dirigiram-se processionalmente para o cemitério de Fátima, onde, em talhão recentemente adquirido pelos Capuchinhos, procederam à deposição das cinzas de dois irmãos capuchinhos: o Fr. Leandro de Oscoz, falecido em 1939 e sepultado do cemitério de Serpa, e o Fr. Félix Maria de Segura, falecido em 1945 e sepultado no cemitério da Conchada, em Coimbra. Juntamente com a destes dois irmãos, foram também ali colocadas as cinzas da senhora Maria da Conceição, que serviu dedicadamente na Fraternidade de Santa Justa, em Coimbra, e tinha sido sepultada no cemitério da Conchada. Este rito da deposição das cinzas foi o coroar de um trabalho persistente e entusiasta do Fr. César Pinto, encarregado de tratar das formalidades necessárias para a trasladação dos restos mortais destes nossos irmãos dispersos em cemitérios onde os Capuchinhos já não têm presença.

A meio da tarde, os Irmãos regressaram às respetivas fraternidades, certamente mais enriquecidos por esta jornada fraterna de celebração festiva do Natal do Senhor.