Ver todos os dias e todas as noites de 2018 desde o alto do Natal o panorama pode ser escuro ou promissor. Mas para um franciscano, que vê as mesmas noites e dias como qualquer dos homens seus irmãos, não desarma e é, senão pelo sangue, mas pela vontade, otimista; ele vê sempre primeiro o lado bom das coisas e do tempo.

E volta-se para o seu Deus que criou bem todas as coisas e partilhou a Sua vida connosco, convidando as criaturas a louvá-lO. E com o irmão Francisco, canta com o irmão lobo e a formiga, o irmão sol e a água, a irmã noite e o dia, os seres viventes e a irmã terra, o vento, o sereno, o fogo e a irmã morte.

Não é por fazer-se cego, certamente; ele exercita-se a ler os dias antes das noites. E acredita na bondade da natureza, das criaturas e dos homens.

Ele toma a caminhada do próximo ano com renovada coragem como quem recomeça de novo, porque sente que não perde nada em pensar que, até agora, pouco fez. Assim se anima e alegra a caminhada que aí vem.

E chama-lhe sempre Ano novo e ano bom.

Um franciscano nunca está sozinho. Ao pôr as mãos na obra da caminhada do ano, convida todos os dias cada um a fazer a sua parte, pois juntos farão melhor.

Ouçamos Bento XVI, homem de pensamento sereno e profundo, numa alocução antes do Natal, num dos seus anos quando papa. Convidava os cristãos a remexer, a escavar, a esgravatar até, para descobrir o essencial das coisas, deixando de lado o acessório; abrir as mãos e a debruçarem-se sobre o presépio para retirar toda a ganga que tapa o Menino para o tonar visível. E uma vez visível O levantássemos para O contemplar, pois Ele é a Palavra amiga enviada a todos os homens de boa vontade para os salvar. E que aprendemos d’Ele a exercitar a bondade, partindo em missão ao encontro do outro fazendo dele um mais próximo,

compromisso que ajuda a termos um Ano novo e bom.

É belo ver as pessoas voltadas umas para as outras a proclamar os desejos de Boas Festas, bom Ano novo, Ano próspero, como se proclamasse um ano jubilar; mas os desejos, por si só, têm pouca garantia de realização. Se os desejos forem propósitos, então façamos por isso.

Na verdade, na vida a caminhada é em frente. Contudo, há muitos montes e vales profundos que não ajudam. É necessário que ninguém se encontre a caminhar sozinho, pois pode perder-se e voltar para trás. Juntos, é mais seguro, mais humano. Quando os economistas nos dizem que aquele país tem um bom pib (produto interno bruto por pessoa neste ano), USA com 54.347dl e Malawi com 480dl e, entre eles, a China com 15.175dl e Portugal com 20.000dl, dizem que estamos aí todos, ricos e pobres, mas não é verdade. Os ricos estão muito acima e os pobres estão muito abaixo. É por isso que o Papa Francisco, na Mensagem para o Dia da Paz do dia primeiro de janeiro, nos diz:

“A boa política está ao serviço dos pobres e da paz”.

Ano Novo e Bom para todos. Façamos por isso!


Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos