Era o tempo em que os homens partiam para as batalhas do futebol, ali por junho de 2016. E nessa altura fui surpreendido por um militante embrulhado em duas bandeiras nacionais: uma, enrolada na cabeça; outra, estendida pelas costas. Vi tanto entusiasmo que isso me levou para o vidro da televisão à espera do que desse aquilo. E ouvi o homem bizarro a proclamar que era o fan número um de dez milhões. Quando descobri que a personagem era o embaixador dos Estados Unidos da América em Portugal juntei-me, curioso, a esse exército, cujo Condestável era dom Fernando, o Santos. As refregas eram valentes, mas o pequeno exército português não se ficava e passava mesmo para a frente. E no final foi uma grande festa.

Em dezembro de 2016 tenho a revista Sábado nas mãos e dou conta duma entrevista com Robert Sherman, embaixador dos USA em Portugal. Ali, a ânsia foi bem grande na procura do texto da entrevista. Os assuntos eram-me tão familiares que voei dez, quinze anos atrás até Boston, sua terra natal. Entrelinhas estava ali a sua alma: simples, generosa e emotiva. Falou da sua mulher Kim Saywer e na alegria comum em terem palmilhado todo o país de mota e celebrado juntos tanta beleza do nosso país.

Também gostava muito da sua terra, Boston, onde tinha muitos amigos nos seus clientes. Estava em Portugal em nome dos americanos a pedido do Presidente Obama, já que a sua profissão não é ser embaixador, mas advogado. Estava muito contente por estar com os portugueses e que ia regressar à sua gente de Boston, mas que já sentia saudades no coração de Portugal e dos portugueses. Ia regressar à sua profissão de advogado. Procurava colocar o seu cliente acima de si, pois chegavam para lhe pedir justiça. E foi assim que começou a servir os injustiçados, os afro-americanos e as vítimas da pedofilia. Neste assunto tenho em Boston um grande amigo, Fr. Ó’Malley.

Fr. SEÁN PATRICK Ó’MALLEY é nomeado arcebispo de Boston em 2003 entrando na grande Diocese a 30 de julho desse ano. A sua atenção cai logo no problema mais urgente da sua Igreja e convida para uma oração todos os que tinham sofrido ou estavam a sofrer o flagelo da pedofilia. Queria estar com todos, queria conhecer a todos, estava a chegar e queria ajudar a todos tanto quanto pudesse.

No fim da oração é abordado por um dos participantes que lhe vinha pedir a bênção. Como não era da confissão católica não tinha comungado e daí pedir a bênção em particular a Fr. Ó’Malley. Tinha percebido que ambos iam trabalhar na mesma causa: as vítimas da pedofilia.

Terminado aquele encontro tão íntimo depois de uma celebração tão solene, trocaram os contatos e despediram-se num “obrigado e até já”- começou um trabalho tão importante e uma amizade que nunca mais acaba entre Fr. Ó’Malley, arcebispo da Igreja de Boston para todo o serviço da paz e do bem e Robert Sherman, advogado de menores que pedem justiça.

Também agora vamos dar o abraço ao cardeal de Boston, Fr. Seán Patrick Ó’Mlley, OFMCap, na Universidade Católica de Lisboa, que o vai agraciar com o título de Doutor Honoris causa pelo apoio que tem dado à comunidade Portuguesa residente em Boston.

Também hoje, em Boston, temos o advogado R. Sherman de pés cruzados sobre o tampo duma cadeira, a torcer pelo seu amigo Fr. Ó’Malley, por Portugal no mundial, e a celebrar com um porto de honra.