O Estado da Cidade do Vaticano começou a reduzir o consumo do plástico e espera ter abolido completamente o seu uso até ao final deste ano civil, tendo proibido a venda de plástico descartável, inspirados pela ‘Laudato si’.

“O segredo foi acolher no coração as diretrizes do Santo Padre na ‘Laudato si’. A Casa comum deve ser salvaguardada e nós devemos ser os primeiros”, disse o responsável pelo Serviço de Jardinagem e Limpeza Urbana do Vaticano.

Rafael Ignacio Tornini explicou que foi preciso muito trabalho para mudar “mentalidades” e os funcionários dos “resíduos especiais” tiveram também formação especifica.

O sítio ‘Vatican News’ informa que a venda de plástico descartável foi proibida e esperam que até ao final do ano termine o stock, atualmente, 55% dos resíduos são diferenciados e o objetivo é em três anos conseguir uma meta de 70-75% de reciclagem.

“O mundo dos resíduos é dividido em duas grandes categorias: O lixo urbano e o lixo especial, perigoso ou não perigoso. Em 2016, foi criada uma ilha ecológica para onde são destinados todos os resíduos especiais. Em 2018, a ilha foi reestruturada e reforçada, e agora conseguimos administrar cerca de 85 códigos Cer, que são os códigos de resíduos da União Europeia. Nestes primeiros seis meses conseguimos reduzir a proporção do não reciclável para 2%, portanto, uma taxa de 98%”, desenvolveu o responsável pelo Serviço de Jardinagem e Limpeza Urbana do Vaticano.

Neste contexto, observa que “mais difícil é a situação do não reciclável” na Praça São Pedro com “milhares de turistas todos os dias” onde “o não reciclável incide um pouco sobre todo o resto”.

“Debaixo das colunatas colocamos recipientes específicos para o plástico e devo dizer que funciona, pois recolhemos cerca de dez quilos por dia”, exemplifica.

Segundo Rafael Ignacio Tornini no Vaticano fazem adubo com o lixo orgânico e com a poda das plantas, cerca de “400 toneladas de material” e, desta forma, trabalham “para colocar no mercado a menor quantidade de resíduo possível”.

“O que descartamos tentamos reutilizá-lo no jardim, no Vaticano ou em Castel Gandolfo, como fertilizante de boa qualidade”, exemplificou o responsável pelo Serviço de Jardinagem e Limpeza Urbana do Vaticano.

A encíclica ‘Laudato si’ – expressão inspirada em São Francisco de Assis, remete para o ‘Cântico das Criaturas’ (1225) – com 246 números, divididos em seis capítulos, incentiva a uma ecologia integral e foi publicada a 18 de junho de 2015.


Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos