"O bem do povo"

 

LEITURAS:

1ª: Jr 38,4-6.8-10. Salmo 40/39,2.3.4.18 R/ Senhor, socorrei-me sem demora. 2ª: Heb 12,1-4. Evº: Lc 12,49-53. IV Semana do Saltério.

 

UMA IDEIA

A Sagrada Escritura evoca as provações que podem surgir na vida dos crentes. Apesar dos obstáculos, a fé dá a força necessária para os ultrapassar. O profeta Jeremias é torturado por causa da sua missão: acusam-no de não procurar «o bem do povo, mas a sua perdição» (1ª). Porém, como o salmista, Jeremias não perde a confiança em Deus: «Esperei no Senhor com toda a confiança e Ele atendeu-me» (salmo). Jesus Cristo também sofreu injusta condenação: «suportou contra Si tão grande hostilidade da parte dos pecadores, para não vos deixardes abater pelo desânimo» (2ª). Daí a credibilidade com que, ao prevenir os discípulos da sua Paixão, os alerta para as provações que podem encontrar: «estarão cinco divididos numa casa: três contra dois e dois contra três» (evangelho). Até onde sou capaz de resistir, por causa da fé?

 

UM SENTIMENTO

A missão do discípulo não é agradar aos nossos desejos e caprichos, mas transmitir-nos a mensagem de salvação que nem sempre sabemos interpretar. Mas há quem prefira ignorar a mensagem ou calar os mensageiros! Assim quiseram fazer com Jeremias. Assim fizeram com Jesus Cristo. E o mesmo aconteceu com muitos dos discípulos missionários. Ao contrário daquilo de que nos possam acusar, a nossa missão é procurar sempre o «bem do povo» (1ª), mesmo que tenham de ser duras as palavras. Recordemos, hoje, o testemunho de tantos homens e tantas mulheres que tiveram um impacte especial pela força das suas palavras e dos seus atos, ou pela sua coerência de vida, apesar de terem sido injustamente perseguidos e maltratados – ou por isso mesmo.