"Cheios de coragem"

 

LEITURAS:

1ª: Sb 18,6-9. Salmo 333/32,1.12.18-19.20.22 R/ Feliz o povo que o Senhor escolheu para sua herança. 2ª: Heb 11,1-2.8-19. Evº: Lc 12,32-48. III Sem. Salt.

 

UMA IDEIA

Felicidade é a palavra de ordem para este domingo. A Liturgia da Palavra revela-nos o verdadeiro segredo da felicidade. E projeta a nossa atenção para algo que é bastante revelador do essencial: «Onde estiver o vosso tesouro, aí estará o vosso coração» – adverte Jesus Cristo. Depois, anuncia o segredo: «Felizes esses servos, que o senhor, ao chegar, encontrar vigilantes» (evangelho). Felizes os que são fiéis, mesmo na noite da provação: em qualquer circunstância, são chamados a viver «cheios de coragem» (1ª). Felizes aqueles que, como Abraão e Sara, colocam a sua confiança em Deus, pois «a fé é a garantia dos bens que se esperam» (2ª). Felizes aqueles que tudo esperam de Deus, reza o salmista: «Os olhos do Senhor estão voltados para os que O temem, para os que esperam na sua bondade» (salmo).

 

UM SENTIMENTO

A salvação que Deus realiza na história está orientada para o seu pleno cumprimento. A experiência do povo bíblico ajuda a reforçar a convicção da presença e proximidade de Deus, apesar de em determinadas alturas o caminho ser demasiado áspero. É preciso saber esperar, é preciso estar abertos ao futuro, é preciso deixar-se surpreender pelo inesperado, é preciso colocar a confiança em Deus, permanecer «vigilantes» (evangelho) e «cheios de coragem» (1ª). Hoje, o texto do livro da Sabedoria pode ser um convite para tomarmos consciência de que somos um «pequenino rebanho» chamado a contemplar as vivências coletivas que nos ajudam a viver mais confiantes em comunhão uns com os outros e com Deus.

Agenda

Últimas notícias

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos