"O Espírito Santo e nós decidimos"

 

LEITURAS:

1ª: At 15,1-2.22-29. Salmo 67/66,2-3.5.6.8. R/ Louvado sejais, Senhor, pelos povos de toda a terra. 2ª: Ap 21,10-14.22-23. Evº: Jo 14,23-29. II Sem. Salt.

 

UMA IDEIA

À medida que avançamos no tempo de Páscoa, o livro dos Atos dos Apóstolos ajuda-nos a perceber o progresso da evangelização e a vida das primeiras comunidades cristãs. Em Antioquia, coloca-se uma questão relacionada com a pertença à comunidade: é necessária a circuncisão? Nestas decisões, o Espírito assiste a Igreja: «O Espírito Santo e nós decidimos» (1ª). Jesus Cristo tinha prometido a ajuda do Espírito Santo: «Ele vos ensinará todas as coisas e vos recordará tudo o que Eu vos disse» (evangelho). Graças ao Espírito, podemos acolher e saborear a Palavra, partilhar a paz do Ressuscitado, cantar a nossa alegria pelo dom da salvação (salmo), ser iluminados pela «glória de Deus» (2ª). Na proximidade do Pentecostes, abrimos o nosso coração e a vida ao dom do Espírito Santo.

 

UM SENTIMENTO

«Hoje, tornou-se particularmente necessária a capacidade de discernimento» (GE 167). Importa valorizar ou recuperar, na vida pessoal e comunitária, o exercício de discernimento testemunhado pelos primeiros cristãos: «O Espírito Santo e nós decidimos» (1ª). O discernimento consiste em permitir que o Espírito Santo nos «ensine» e nos «recorde» as palavras do Mestre. Não se trata apenas de «uma boa capacidade de raciocinar [...], é também um dom que é preciso pedir. Se o pedirmos com confiança ao Espírito Santo e, ao mesmo tempo, nos esforçarmos por cultivá-lo com a oração, a reflexão, a leitura e o bom conselho, poderemos certamente crescer nesta capacidade espiritual» (GE 166).

Agenda

Últimas notícias

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos