Milagres e Prodígios

 

LEITURAS:

1ª: At 5,12-16. Salmo 118/117,2-4.22-24.25-27a. R/ Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom, porque é eterna a sua misericórdia. 2ª: Cl 3,1-4. Evº: Jo 20,19-31. II Semana do Saltério.

 

UMA IDEIA

O «Domingo da Divina Misericórdia» evidencia a alegria da fé, a alegria do «encontro» com o Ressuscitado: «Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor» (evangelho). É a alegria de nos sabermos amados e perdoados, a alegria de nos reunirmos em Igreja para dar graças pela misericórdia de Deus (salmo). Com os novos batizados, celebramos o «oitavo dia», purificamos a nossa fé alicerçada na ação, «milagres e prodígios» (1ª) e nos escritos dos Apóstolos: «Escreve, pois, as coisas que viste, tanto as presentes como as que hão de acontecer» (2ª). E abrindo os nossos corações ao Espírito Santo, recebemos o dom da paz e somos contados entre aqueles que Jesus Cristo proclama “felizes”, dispostos a anunciar a alegria da fé.

 

UM SENTIMENTO

Jesus Cristo ressuscitou e os seus discípulos receberam a missão de anunciar o Evangelho a todas as pessoas. Após a ressurreição, Jesus Cristo passa de «anunciador» a «anunciado». O livro dos Atos dos Apóstolos descreve como se vivia com ardor e eficácia o primeiro anúncio do Evangelho. Aos nossos olhos, parece uma missão impossível: os primeiros discípulos são pessoas simples, sem formação nem qualquer tipo de base organizacional. Contudo, os passos dados nos inícios da comunidade cristã são prodigiosos: «Uma multidão cada vez maior de homens e mulheres aderia ao Senhor pela fé» (1ª). A Igreja é obra do Ressuscitado. A nós compete-nos continuar a missão com alegria!

Agenda

Mais lidos