“Deus ressuscitou-o”

 

LEITURAS:

1ª: At 10,34a.37-43. Salmo 118/117,1-2.16ab-17.22-23. R/ Este é o dia que o Senhor fez: exultemos e cantemos de alegria. 2ª: Cl 3,1-4. Evº: Jo 20,1-9.

 

UMA IDEIA

Anúncio de uma Boa Nova! Eis o fim dos dias da Paixão. Jesus Cristo está vivo: «Porque buscais entre os mortos Aquele que está vivo?» (evangelho). «Deus ressuscitou-O» e, doravante, «quem acredita n’Ele recebe pelo seu nome a remissão dos pecados» (1ª). Esta é a boa nova que cantamos e proclamamos: «Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom / porque é eterna a sua misericórdia» (salmo). O batismo faz-nos participantes da vida nova do Ressuscitado. Somos homens e mulheres ressuscitados. Podemos ter os olhos voltados para os céus: «aspirai às coisas do alto [...]. Afeiçoai-vos às coisas do alto e não às da terra» (2ª). Ao saborear esta alegria pascal, abrimos os nossos corações à Palavra, e, como discípulos missionários, assumimos a missão de anunciar a todos: Aleluia! Jesus Cristo ressuscitou!

 

UM SENTIMENTO

O tempo de Páscoa recorda a presença, entre nós, de Jesus Cristo que nos envia a anunciar a fé com alegria. «Deus ressuscitou-O» (1ª). Este é o «kerygma» ou «primeiro anúncio» proclamado, que dá início à comunidade dos cristãos, a Igreja. A comunidade celebra a experiência do acontecimento da Ressurreição e atualiza a missão do Ressuscitado. «O discípulo, à medida que conhece e ama o seu Senhor, experimenta a necessidade de compartilhar com outros a sua alegria de ser enviado, de ir ao mundo para anunciar Jesus Cristo, morto e ressuscitado, e tornar realidade o amor e o serviço na pessoa dos mais necessitados […]. A missão é inseparável do discipulado» (Documento de Aparecida, 278).