“Talvez venha a dar frutos”

 

LEITURAS:

1ª: Ex 3,1-8a.13-15. Salmo 103/102,1-4.6-8.11. R/ O Senhor é clemente e cheio de compaixão. 2ª: 1 Cor 10,1-6.10-12. Evº: Lc 13,1-9. III Semana do Saltério

 

UMA IDEIA

A Quaresma é o tempo de conversão e de misericórdia. A Liturgia da Palavra do III domingo põe em evidência esta mensagem, aplicando-a ao próprio Deus. Ele torna-se presente para revelar que conhece a realidade em que se encontra o seu povo: «Eu vi a situação miserável do meu povo no Egito; escutei o seu clamor provocado pelos opressores. Conheço, pois, as suas angústias» (1ª). Deus é «clemente e compassivo» (salmo). Deus é paciente para com todos: «Talvez venha a dar frutos» (evangelho). Mas, porque nos conhece, também não desiste de exortar à conversão. Entretanto, Paulo adverte para a fragilidade das nossas decisões: «Quem julga estar de pé tome cuidado para não cair» (2ª). Não há «imunidade» só pelo facto de sermos batizados. Não podemos relaxar!

 

UM SENTIMENTO

O apelo à conversão não é para meter medo, é antes uma promessa de vida. A conversão consiste em aprender a ver as coisas de uma outra maneira, isto é, a ver para além da nossa mente. É aqui que está a nossa maior dificuldade! Para nos ajudar, Jesus Cristo diz que uma árvore existe para dar fruto (e, se isso não acontece, deve ser cortada). Mas depois acrescenta uma distinção entre a fecundidade e a eficácia: «Talvez venha a dar frutos» (evangelho). É o olhar de Deus. O amor com que sou amado. Muitas vezes, estou mais atento ao que falta, ao que não acontece, do que aos dons que Deus me dá, cada dia. Deus tem prazer em ver o fruto e está disposto a ajudar-me. Que significa dar fruto?

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos