“Tu serás a alegria do teu Deus”

 

LEITURAS:

1ª: Is 62,1-5. Salmo 96/96,1-3.7-8a.9-10a.c. R/ Anunciai em todos os povos as maravilhas do Senhor. 2ª: 1 Cor 12,4-11. Evº: Jo 2,1-11. II Semana do Saltério

 

UMA IDEIA

A liturgia oferece-nos uma terceira “epifania” ou “manifestação” de Jesus: depois da feita aos Magos e pelos Magos vindos do Oriente (Epifania) e pelo Pai, no Jordão (Batismo de Jesus), hoje, na boda em Caná da Galileia, o próprio Jesus Cristo «manifestou a sua glória e os discípulos acreditaram n’Ele» (evangelho). É essa glória que somos convidados a cantar e a anunciar a «todos os povos» (salmo). Por outro lado, em relação com a boda de Caná, o texto profético destaca a temática matrimonial para dizer a Aliança de Deus com o seu povo: «como a esposa é a alegria do marido, tu serás a alegria do teu Deus» (1ª). E é com a «diversidade dos dons» e «ministérios», na unidade do Espírito (2ª), que tomamos consciência do novo tempo litúrgico que estamos a viver: inicia-se a leitura da terceira parte da Primeira Carta aos Coríntios.

 

UM SENTIMENTO

Celebramos a aliança de Deus connosco! Sou convidado a tornar-me a alegria de Deus: «Tu serás a alegria do teu Deus» (1ª). A expressão abre um sentido para a vida: discernir a presença de Deus. E convida a viver a alegria que nasce da unidade entre a minha vida e a vida divina. A alegria de Deus é que cada ser humano seja capaz de fazer a descoberta da sua presença e saboreie o seu amor. É, também, a base da nossa missão. «Na descoberta diária do seu amor, ganha força e vigor o compromisso missionário dos crentes, que jamais pode faltar. Com efeito, a fé cresce quando é vivida como experiência de um amor recebido e é comunicada como experiência de graça e de alegria» (Bento XVI, A Porta da Fé, 7).