“Eu sou um Pai para Israel”

 

LEITURAS:

1ª: Jr 31,7-9. Salmo 126/125,1-2ab.2cd-3.4-5.6. R/ Grandes maravilhas fez por nós o Senhor, por isso exultamos de alegria. 2ª: Heb 5,1-6. Evº: Mc 10,46-52. II Semana do Saltério

 

UMA IDEIA

O evangelista anuncia o itinerário percorrido por Jesus entre Jericó e Jerusalém, como forma de apresentar as condições para segui-lo. O cego Bartimeu, na margem, gritando por Jesus e mandado calar, é modelo e lição para os Apóstolos, ainda cegos com o poder (vv.35-45): curado, «recuperou a vista e seguiu Jesus pelo caminho» (evangelho). Em Jesus Cristo, «sumo-sacerdote [...] constituído em favor dos homens» (2.ª), cumpre-se a salvação anunciada pelo profeta Jeremias. Como naquele tempo, somos convidados a soltar «brados de alegria» (1.ª), a proclamar os louvores de Deus, a cantar as suas «maravilhas» (salmo) em nosso favor. Nós somos esse povo de salvos quando, pela fé, decidimos seguir as pegadas do Mestre, quando lhe confiamos toda a nossa vida.

 

UM SENTIMENTO

O profeta Jeremias fala da grande multidão que vai regressar a casa. No meio dela vão o cego, o coxo, a mulher grávida e «a que já deu à luz» – as pessoas frágeis e indefesas, objeto do especial carinho de Deus (1.ª). Por fim, diz que terminou o medo e o caminho de regresso será absolutamente seguro, porque Deus é «um Pai para Israel». Deus ama toda gente. «Ninguém nos pode tirar a dignidade que este amor infinito e inabalável nos confere. Ele permite-nos levantar a cabeça e recomeçar, com uma ternura que nunca nos defrauda e sempre nos pode restituir a alegria» (EG 3).

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos