Neste mês de Maio houve um terço missionário que foi preparado e rezado ao mesmo tempo em Portugal e em Timor-Leste. A Rosa Ribeiro e o frei Miguel Grilo contam como foi.

 

Agosto de 2018. Voltei a Laleia, Timor Leste, aquela que foi para mim terra de Missão durante cerca de 1 ano.

Naquele primeiro dia, manhã bem cedo, saímos para Cairui, uma das estações missionárias da paróquia de Laleia. Levávamos connosco papel para desenho e um saquinho com lápis de cor, um afia, uma tesoura e uma borracha, uma dezena e ainda uma pintura que duas meninas de Barcelos tinham tido o cuidado de preparar para mandar, como diziam, “para os meninos de Timor”.

Ainda não tínhamos chegado a Cairui, e já um grupo de meninos vinham sorridentes a correr ao nosso encontro!

Desenhar é sempre uma atividade que os enche de alegria e por isso não demorou para que todos se debruçassem sobre uma folha de papel e a enchessem de múltiplas cores. As cores dos sorrisos e da festa de que são feitos os seus dias e os sonhos. Quando circulava por entre todos reparei num menino que pôs imediatamente no pulso aquela dezena que tínhamos levado connosco e, enquanto lá estivemos, não a tirou mais. O olhar de ternura e felicidade com que olhava para ela enternecia-nos a todos.

Quando regressávamos a Cairui nos dias seguintes as crianças esperavam-nos ansiosamente e a dezena era o objeto mais cobiçado por todos. A imagem do olhar daquele menino sobre a dezena permaneceu sempre viva na minha memória.

Quando celebrámos o dia das missões capuchinhas, em janeiro de 2019, e apresentámos imagens e histórias de Timor aos meninos da catequese de Barcelos, lembrámo-nos da história daquela dezena enquanto mostrávamos a imagem do menino que me ficou na memória e no coração. Alguém lançou então o desafio a todas as crianças e jovens da catequese de Barcelos e aos jovens do grupo Adonai: fazer, cada um, uma dezena para enviar para as crianças e jovens de Laleia, Cairui e Samalai!

O desafio foi aceite por todos e, com a ajuda dos pais e dos catequistas ensinando e trazendo materiais, conseguimos fazer dezenas em número suficiente para todos (e algumas a mais para o caso de alguma embalagem se perder no caminho). No dia 18 de maio todas as crianças de Laleia puderam rezar o terço com uma das dezenas feitas pelas mãos das nossas crianças.

Com um simples gesto, de mãos dadas, todas as crianças e jovens acreditaram que para ser missionário, basta crer e querer, estar disposto a aceitar a Missão a que todos somos chamados: Amar!

Rosa Ribeiro

 

Nos inícios deste passado mês de Maio, a Paróquia de Laleia recebeu uma encomenda muito especial vinda de Barcelos. Eram centenas de dezenas feitas com muito amor, carinho e dedicação pelas crianças da catequese de Barcelos a pensar nos ‘meninos de Timor’. Um gesto de fé que se esticou de um lado do mundo para o outro!

Como ninguém consegue ficar indiferente quando recebe tal gesto, no dia 18 de Maio foi vez das crianças da catequese de Laleia responderem a este gesto rezando o terço juntamente com as crianças da catequese em Barcelos. Através da página do Facebook da Paróquia de Laleia foi feita uma transmissão em direto da oração do terço feita pelas crianças de Laleia com a dezena que lhes havia sido oferecida pelas crianças do outro lado do mundo. Foi assim que das crianças de Laleia esticaram também elas o seu gesto de fé deste lado do mundo até Barcelos.

Elas rezaram o terço com muita alegria e devoção, dividindo os mistérios pelos primeiros 5 anos da catequese da infância. O coração estava elevado ao céu, mas com os olhos postos em Portugal de onde tinha partido este gesto tão belo e que agora estas crianças tinham oportunidade de retribuir.

Refletindo atentamente sobre estes acontecimentos encontramos dois braços que se abraçaram e que no seu abraço conseguiram abraçar todo o mundo num gesto de fé e de amor. Com esta oração feita utilizando estas dezenas missionárias confiaram nos braços de Maria não apenas Laleia e Barcelos, mas TODO O MUNDO!

Poderíamos pensar que este foi um belo momento, que talvez até possa ser repetido, mas que já terminou… mas estaríamos muito errados! O facto é que este foi apenas o arranque de algo que ainda continua. Prova disso é que durante toda a semana que se seguiu podia-se ver no pulso de TODAS as crianças da catequese de Laleia a dezena que lhes fora oferecida. Ainda mais, no sábado seguinte TODAS fizeram questão de mostrar à catequista a sua dezena como quem traz consigo uma pulseira de pedras preciosas. Na verdade, quem tem razão são as crianças pois o seu olhar foi capaz de reconhecer naquela dezena, que trazem no pulso, a terna Mãe do céu que lhes dá a mão e que os acompanha no dia-a-dia. A razão para o agradecimento a este gesto vindo de Portugal brotar de tão fundo do coração das crianças da paróquia de Laleia é porque não lhes foi oferecida apenas uma dezena, mas foi-lhes partilhada a mesma Mãe que cuida ternurosamente de uns e de outros por maior que seja a distância.

Com a dezena no pulso as crianças de Laleia continuarão de mãos dadas com Maria e com Portugal.

Frei Miguel Grilo

Próximos Eventos

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos