De 7 a 28 de Fevereiro, o Fr. Fernando Alberto Pedrosa Cabecinhas, Ministro Provincial dos Capuchinhos de Portugal e Timor-Leste, realizou a visita pastoral e fraterna às fraternidades de Tibar e Laleia, em Timor-Leste. Esta visita está prescrita nas Constituições da Ordem, e deve fazer-se pelo menos duas vezes cada três anos.

O objetivo principal desta estadia em Timor-Leste era o de animar os irmãos na sua vocação e missão de Capuchinhos, através desta visita pastoral e fraterna, a qual se realizou de 7 a 10, em Tibar, e de 12 a 14, em Laleia. Após o diálogo com os irmãos, individualmente e em reunião fraterna, o Ministro Provincial deixou algumas propostas de ação, como encorajamento à consolidação da vocação dos Irmãos e da sua vivência em Fraternidade.

Também o Fr. Hermanus Mayong, Ministro Provincial de Pontianak, Indonésia, aproveitou estes dias para fazer a visita a Timor-Leste. Essencialmente por duas razões: a primeira, porque desde 2010 aquela Província mantem uma colaboração muito importante nesta presença da Ordem em Timor-Leste; segunda, porque está em marcha o processo de passagem de responsabilidade sobre Timor-Leste, da Província de Portugal para a de Pontianak. Na sua curta visita, de 16 a 21, reuniu com os irmãos professos da fraternidade de Tibar e de Laleia e teve um diálogo individual com os dois irmãos da sua Província, o Fr. Yohannes Hamdi e o Fr. Isidorus Jawa.

O coroamento do programa da visita pastoral e fraterna aconteceu no dia 20, juntando em Tibar as duas fraternidades, para um programa apropriado de encontro fraterno, diálogo e celebração. Pelas 11h00, o Ministro Provincial de Portugal reuniu só com os professos perpétuos, para dialogarem sobre os assuntos mais pertinentes da presença capuchinha em Timor-Leste. Depois do almoço e convívio, o Ministro Provincial de Portugal presidiu a outra reunião, desta vez com todos os frades professos e também com a presença do Ministro Provincial de Pontianak, na qual se fez uma breve informação sobre a realidade da Ordem na Província de Pontianak, pelo Fr. Hermanus, na Província de Portugal, pelo Fr. Fernando, e em Timor-Leste, pelo Fr. Miguel. Seguiu-se um tempo de diálogo, no qual vários irmãos pediram esclarecimentos e apresentaram sugestões a ter em conta na presença da Ordem em Timor-Leste, com alguma incidência na questão da passagem da responsabilidade para a Província de Pontianak, a qual, embora seguindo o processo que depende sobretudo do Ministro Geral e Ministros Provinciais implicados, não deveria, contudo, esquecer a questão da língua portuguesa e a necessária colaboração dos frades portugueses. Este encontro conjunto encerrou com a celebração da Eucaristia, para todos, presidida pelo Ministro Provincial de Portugal.

Para além do dia-a-dia fraterno e pastoral das fraternidades de Laleia e Tibar, onde participou de forma ativa, o Ministro Provincial aproveitou ainda estes dias para alguns “encontros” e “visitas”. Dia 15 acompanhou os irmãos de Laleia num momento celebrativo na casa das Irmãs Franciscanas Missionárias de Nossa Senhora, com a celebração da Eucaristia e almoço, assinalando o aniversário natalício da Ir. Albina e os 5 anos de presença das Irmãs em Laleia. Na tarde desse mesmo dia encontrou-se com o D. Basílio do Nascimento, Bispo de Baucau, que se dirigia para Dili e amavelmente quis fazer uma paragem em Laleia. Ainda nesse dia, ao fim da tarde, o Ministro Provincial deslocou-se às Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres, em Vemasse, para presidir à Eucaristia e partilhar o jantar com as Irmãs de todas as comunidades que ali se reuniram para celebrar o aniversário natalício da Ir. Maria Alice, Superiora Geral, que estes dias também se encontra em Timor-Leste para a visita oficial às Irmãs. Na tarde de Domingo, dia 17, teve um encontro com alguns paroquianos, representativos da “geografia” humana e eclesial da Paróquia de Laleia. No dia 21, acompanhado pelo Fr. Miguel Grilo e o Fr. Luan Le, visitou a Estação Missionária de Estado, Paróquia de Ermera, onde se poderá vir a constituir uma nova fraternidade de Capuchinhos. No fim da tarde desse mesmo dia, acompanhou os irmãos de Tibar na ida à casa das Irmãs Franciscanas dos Sagrados Corações, em Tibar, para a celebração da Eucaristia e confraternização que se lhe seguiu, assinalando os 133 anos da fundação da Congregação pelo sacerdote franciscano observante, Fr. Simpliciano da Natividade. No dia 22, acompanhado pelo Fr. Miguel Grilo, visitou as Irmãs Clarissas, no seu mosteiro em Tunubibi, Maliana, partilhando com elas a oração litúrgica da Hora Intermédia e o almoço. No dia 24, domingo, acompanhado pelo Fr. Ricardo Tinoco, deslocou-se às montanhas de Boebau/Manati, Paróquia de Liquiçá, onde presidiu à Eucaristia na Escola São Francisco de Assis, bem participada pelos meninos que frequentam a escola e pela população local. Nesse mesmo dia, na viagem de regresso, encontrou-se com o Pe. Ernesto, pároco da Paróquia de Liquiçá, à qual pertence também a zona pastoral de Tibar que está confiada aos Capuchinhos. Na manhã do dia 25, o Ministro Provincial foi amavelmente recebido pelo D. Virgílio do Carmo, Bispo de Dili, numa conversa informal, na qual se falou também do desejo de constituir uma fraternidade de Capuchinhos na Diocese de Dili, a única que ainda não tem a presença da Ordem.

A presença do Ministro Provincial em Timor-Leste nestes dias de visita foi também ocasião propícia para perceber e avaliar a dimensão da implantação da Ordem neste país, quinze anos após a chegada dos três primeiros capuchinhos portugueses, em Outubro de 2003. A realidade é de crescimento. Neste momento há um total de 37 irmãos em Timor-Leste, dos quais só 5 não são timorenses: 4 noviços em Laleia, 15 postulantes em Tibar (7 deles acabados de chegar), 9 irmãos pós-noviços em Tibar, 3 irmãos professos perpétuos em Tibar, 6 irmãos de outras províncias ou circunscrições da Ordem (2 de Portugal, 2 de Pontianak/Indonésia, 1 de Sibolga/Indonésia, e 1 de Austrália). Estes números justificam tanto a ampliação das obras da casa de formação em Tibar, cuja construção se prevê estar concluída em Julho deste ano de 2019, como também a vontade de alargar a presença capuchinha para outros lugares deste país, com a criação duma nova fraternidade.

Enquanto não se concretiza a passagem de responsabilidade para a Província de Pontianak, Indonésia, processo que pode demorar o seu tempo, a presença da Ordem em Timor-Leste continua a ser suportada pela Província de Portugal. Dada a distância geográfica, o Ministro Provincial de Portugal confia muitas das suas competências ao seu Delegado em Timor-Leste, neste momento o Fr. Miguel Pinto Grilo, pároco e guardião em Laleia. A Província de Portugal agradece a todos os que com ela partilham esta missão, e continua a contar com o apoio e contributo de todos, na comunhão da oração, na ajuda económica e até nalgum tempo efetivo de presença e missão.

Agenda

Últimas notícias

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos