Francisco de Assis, o cantor da criação (basta no famoso Cântico das Criaturas) propõe ao homem de nossos dias uma mensagem de vida, de respeito à natureza, de diálogo com toda a criação que "canta as maravilhas de Deus". Feito à imagem e semelhança de Deus, o homem não pode destruir o que Deus "criador e Senhor de toda a terra" colocou a serviço do homem e para o bem do homem. Ao colaborar com Deus nesse processo de re-criação, o homem permanece fiel ao projeto primordial de Deus que queria o homem no centro da criação e da história. Francisco de Assis chamava a terra de mãe, o sol de irmão, a lua de irmã, era a consequência lógica de um credo e um amor autêntico pela natureza criado por Deus.

Às 12 horas (horário italiano) da próxima sexta-feira, 4 de outubro, Festa de São Francisco, o Papa Francisco presidirá uma celebração nos Jardins Vaticanos onde consagrará o iminente Sínodo para a Amazônia ao Santo de Assis. O Vatican News transmitirá a celebração, com comentários em português, a partir das 6h55, horário de Brasília.

A festa de São Francisco neste ano, de fato, adquire uma relevância especial, por coincidir com diversas datas simbólicas. A festa conclui, por exemplo, o Tempo da Criação, a recorrência que é celebrada anualmente de 1º a 4 de outubro, e que pela primeira vez foi proclamada oficialmente pelo Papa Francisco para a Igreja Católica.

Ela também acontece pouco antes (29 de novembro) da celebração do 40º aniversário da proclamação de São Francisco de Assis como Padroeiro dos cultores da ecologia por São João Paulo II. E depois, naturalmente, dois dias antes da abertura do Sínodo para a Amazônia, com a Santa Missa celebrada na Basílica de São Pedro no domingo.

 

O evento

A celebração na presença do Papa Francisco nos Jardins Vaticanos, inclui o plantio de uma árvore, vinda de Assis, como um gesto visível de uma ecologia integral. O evento prevê a participação de lideranças indígenas e da Igreja, para enviar uma mensagem ao mundo sobre o compromisso da Igreja com cuidado pela nossa Casa Comum.

A celebração e o gesto simbólico de plantar uma árvore no coração da Igreja universal, também será uma oportunidade para comunicar a importância do Tempo da Criação, sendo o primeiro gesto visível do Papa Francisco após o convite à Igreja em todo o mundo para celebrar este “período de oração e ação mais intensa em benefício da casa Comum”.

Mas também para comunicar a importância do Sínodo Amazônico e propor São Francisco como modelo e guia para o processo sínodo. Neste sentido, o evento incluirá uma oração de consagração do Sínodo à intercessão de São Francisco, para que este processo constitua um passo fecundo para discernir novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral nesta complexa região.

O evento é organizado pela Ordem dos Frades Menores, pelo The Global Catholic Climate Movement (GCCM) e pela Repam.

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos