Dentro de poucos anos, será possível ir de bicicleta do Vaticano a Assis. Boa parte da ciclovia de 250 km passará entre as regiões italianas da Úmbria e Lácio ao longo do leito do Rio Tibre, unindo caminhos já existentes com outros que serão criados.

O projeto tem financiamento de 11,5 milhões de euros entre recursos estatais e fundos regionais e avançará a partir de agora. De fato, nas últimas semanas, foi finalizado um acordo de colaboração entre a Reserva Natural Regional Tibre/Farfa, 21 municípios ao longo da rota entre Orte e Monterotondo, o Capitólio e a Cidade Metropolitana de Roma.

O acordo assinado pelos responsáveis interessados pelo projeto, traz em detalhe as modalidades de participação em um edital da Região do Lácio. O Capitólio, da sua parte, compromete-se a encontrar no seu orçamento os recursos necessários para cofinanciar o trabalho.

O itinerário traçado no projeto prevê unir a ciclovia Assis-Spoleto; a antiga ferrovia Spoleto-Núrsia; a Via Verde de Nera; a ciclovia garganta de Nera; o Greenway Orte; a via do Tibre; e um trecho dentro da reserva natural Nazzano Tibre-Farfa com a ciclovia Castel Giubileo até São Pedro.