Sl 109

Da Biblia Online

109 (108) PRECE CONTRA OS INIMIGOS

Este salmo individual de súplica toma como motivo acusações infundadas de pessoas que lhe pagam o bem com o mal (v.2-5). Os v.6-8 contêm a reacção quase primária contra os referidos ataques, invocando castigos contra os seus inimigos. Estes versículos são, ao mesmo tempo, exemplo de imprecações feitas em elevado estilo literário. Nos v.21-31 o salmista atinge a serenidade de uma oração que exprime a sua confiança em Deus.


1Ao director do coro. De David. Salmo.
Ó Deus, a quem eu louvo,
não fiques em silêncio.
2Pois abriram a boca contra mim,
com fraudes e traições,
e falaram de mim com linguagem mentirosa.
3Cercam-me com palavras de ódio,
atacam-me sem razão.
4Em paga do meu amor, acusam-me;
mas eu entrego-me à oração.
5Pagam-me o bem com o mal,
o amor com o ódio.
6Eles dizem: «Suscita contra ele um homem mau
e à sua direita esteja um acusador.
7Quando for julgado, saia condenado,
e, na sua apelação, resulte incriminado.
8Sejam abreviados os seus dias
e outro ocupe o seu lugar.
9Que os seus filhos fiquem órfãos
e a sua mulher fique viúva!
10Que os seus filhos andem errantes a mendigar
e sejam expulsos das suas casas em ruína.
11Que o credor lhe tire todos os seus haveres
e os estranhos lhe arrebatem o fruto do seu trabalho.
12Que ninguém tenha compaixão dele,
nem dos seus filhos órfãos.
13Que seja exterminada a sua descendência
e seja apagado o seu nome numa geração.
14Que o SENHOR conserve na sua lembrança
a culpa de seus pais
e jamais se apague o pecado de sua mãe.
15Que tais pecados estejam sempre presentes ao SENHOR
e que Ele faça desaparecer da terra a sua memória.
16Pois esse homem nunca pensou em usar de misericórdia,
mas perseguiu o pobre e o desvalido
e empurrou para a morte o aflito de coração.
17Amou a maldição: que ela caia sobre ele!
Desprezou a bênção: que ela o abandone!
18Revestiu-se da maldição como de um manto:
que ela penetre nas suas entranhas como água
e, como azeite, nos seus ossos;
19seja para ele como um vestido a envolvê-lo
e a apertá-lo como uma cinta.»
20Que o SENHOR castigue assim os meus caluniadores
e os que falam mal de mim.
21Mas Tu, SENHOR, meu Deus,
por amor do teu nome, ajuda-me.
Salva-me, pela tua bondade e misericórdia!
22Porque estou pobre e aflito,
e tenho o coração angustiado dentro de mim.
23Desfaleço como a sombra que declina;
vejo-me enxotado como um gafanhoto.
24Os meus joelhos vacilam de tanto jejuar
e o meu corpo definha de magreza.
25Tornei-me para eles objecto de desprezo;
ao verem-me, abanam a cabeça.
26Socorre-me, SENHOR, meu Deus;
salva-me, pela tua bondade.
27Para que saibam que és Tu o meu salvador,
que foste Tu, SENHOR, que assim fizeste.
28Eles poderão amaldiçoar-me, mas Tu abençoas-me.
Que os meus inimigos se cubram de confusão
e que o teu servo se regozije.
29Que os meus inimigos se encham de vergonha;
que a sua confusão os cubra como um manto.
30Agradecerei bem alto ao SENHOR
e louvá-lo-ei no meio da multidão.
31Porque Ele é o defensor do pobre;
salva-o dos que o querem condenar.



Salmos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150

Ferramentas pessoais