Sl 106

Da Biblia Online

106 (105) CONFISSÃO NACIONAL DE ISRAEL (78; 105)

Salmo colectivo de súplica. Pede perdão pelos pecados cometidos. Esta confissão comunitária é feita como um exame de consciência à História do povo. Daí a semelhança entre certos aspectos deste salmo e os Sl 78 e 105. Os últimos versículos situam-no provavelmente depois do Exílio.


1Aleluia!
Dai graças ao SENHOR, porque Ele é bom,
porque o seu amor é eterno.
2Quem poderá contar as obras do SENHOR
e apregoar todos os seus louvores?
3Felizes os que observam os seus preceitos
e fazem sempre o que é justo.
4Lembra-te de mim, SENHOR,
por amor do teu povo.
Vem trazer-me a tua salvação,
5para eu ver a felicidade dos teus escolhidos,
rejubilar com a alegria do teu povo
e orgulhar-me com a tua herança.
6Pecámos, como os nossos pais,
fomos ímpios e pecadores.
7Os nossos pais, quando estavam no Egipto,
não entenderam as tuas maravilhas
nem tiveram presente a imensidade do teu amor;
revoltaram-se junto ao Mar dos Juncos.
8Mas Ele salvou-os, por amor do seu nome,
e para mostrar o seu poder.
9Ameaçou o Mar dos Juncos e ele secou,
e conduziu-os pelas profundezas como por um deserto.
10Salvou-os das mãos dos que os odiavam
e resgatou-os do poder dos inimigos.
11As águas cobriram os seus perseguidores;
nem um só deles escapou com vida.
12Então acreditaram na sua palavra
e cantaram os seus louvores.
13Mas depressa esqueceram as suas obras
e não confiaram nos seus planos.
14Cederam aos seus instintos, no deserto,
e provocaram a Deus, no descampado.
15Deus concedeu-lhes o que pediam
e enviou-lhes o alimento até se saciarem.
16No acampamento, tiveram inveja de Moisés
e de Aarão, o ungido do SENHOR.
17Abriu-se então a terra, que engoliu Datan
e sepultou os sequazes de Abiram;
18o fogo consumiu os seus partidários
e as chamas devoraram os malvados.
19Fizeram um bezerro de ouro no Horeb
e adoraram um ídolo de metal fundido.
20Trocaram assim o seu Deus glorioso
pela figura de um animal que come feno.
21Esqueceram a Deus, que os salvara,
que realizara prodígios no Egipto,
22maravilhas no país de Cam,
feitos gloriosos no Mar dos Juncos.
23Deus decidiu aniquilá-los.
Moisés, porém, seu escolhido,
intercedeu junto dele,
para acalmar a sua ira destruidora.
24Eles desprezaram a terra de delícias;
não acreditaram na sua palavra.
25Murmuraram nas suas tendas
e desobedeceram às ordens do SENHOR.
26Por isso, jurou-lhes, de mão erguida,
que os deixaria morrer no deserto
27e que dispersaria os seus descendentes,
espalhando-os entre os pagãos, por toda a terra.
28Entregaram-se depois a Baal-Peor
e comeram dos sacrifícios oferecidos aos mortos.
29Provocaram-no com os seus crimes;
por isso, a peste irrompeu entre eles.
30Surgiu então Fineias, que fez justiça
e a peste acabou.
31Esse gesto foi-lhe reconhecido como mérito,
por todas as gerações e para sempre.
32Irritaram-no junto das águas de Meribá
e, por culpa deles, Moisés foi castigado,
33porque lhe amarguraram o espírito
e ele proferiu palavras insensatas.
34Não exterminaram os povos pagãos,
como o SENHOR lhes tinha ordenado;
35em vez disso, misturaram-se com esses povos
e aprenderam os seus costumes.
36Prestaram culto aos seus ídolos,
que foram para eles uma armadilha.
37Imolaram os seus filhos e as suas filhas
em sacrifício aos demónios.
38Derramaram sangue inocente,
o sangue de seus filhos e filhas
sacrificados aos ídolos de Canaã,
e a terra ficou manchada de sangue.
39Contaminaram-se com os seus actos,
prostituíram-se com os seus crimes.
40Por isso, o SENHOR se indignou com o seu povo
e ficou desgostoso com a sua herança.
41Entregou-os ao poder dos pagãos
e foram dominados pelos que os odiavam.
42Os seus inimigos oprimiram-nos
e foram vergados ao seu poder.
43Muitas vezes Deus os libertou,
mas eles mostraram-se rebeldes nos seus caprichos
e mergulharam sempre mais na sua maldade.
44Contudo, Ele reparou na sua aflição
e ouviu os seus lamentos.
45Recordou-se deles por causa da sua aliança
e teve pena deles, pelo seu grande amor.
46Por isso, fê-los encontrar clemência
junto dos seus conquistadores.
47Salva-nos, SENHOR, nosso Deus,
e volta a reunir-nos de entre os pagãos,
para darmos graças ao teu santo nome
e celebrarmos os teus louvores.
48Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel,
pelos séculos dos séculos.
E todo o povo diga: «Ámen! Aleluia!»



Salmos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150

Ferramentas pessoais