Mt 15

Da Biblia Online

Puro e impuro: Jesus e as tradições judaicas (Mc 7,1-23; Lc 11,37-41) - 1Aproximaram-se, então, de Jesus alguns fariseus e doutores da Lei, vindos de Jerusalém e disseram-lhe: 2«Porque transgridem os teus discípulos a tradição dos antigos? Pois não lavam as mãos antes das refeições.» 3Replicou-lhes: «E vós, porque transgredis o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição? 4Deus, com efeito, disse: Honra teu pai e tua mãe. E ainda: Quem amaldiçoar o pai ou a mãe seja punido de morte. 5Mas vós dizeis: ‘Seja quem for que diga a seu pai ou a sua mãe: Os meus bens, de que poderias beneficiar, são oferta sagrada’, 6esse já não está obrigado a socorrer o pai ou a mãe. E assim, em nome da vossa tradição, anulastes a palavra de Deus. 7Hipócritas! Muito bem profetizou Isaías a vosso respeito, ao dizer:

8Este povo honra-me com os lábios,
mas o seu coração está longe de mim.
9vão o culto que me presta,
ensinando doutrinas
que são preceitos humanos.»

10Jesus chamou, depois, a multidão para junto de si e disse-lhes: «Escutai e tratai de compreender! 11Não é aquilo que entra pela boca que torna o homem impuro; o que sai da boca é que torna o homem impuro.» 12Os discípulos aproximaram-se dele e disseram-lhe: «Sabes que os fariseus ficaram escandalizados, por te ouvirem falar assim?»

13Ele respondeu: «Toda a planta que não tenha sido plantada por meu Pai celeste será arrancada. 14Deixai-os: são cegos a conduzir outros cegos! Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão nalguma cova.»

15Tomando a palavra, Pedro disse-lhe: «Explica-nos esta parábola.» 16Jesus respondeu-lhes: «Também vós não sois ainda capazes de compreender? 17Não sabeis que tudo aquilo que entra pela boca passa para o ventre e é expelido em lugar próprio? 18Mas o que sai da boca provém do coração; e é isso que torna o homem impuro. 19Do coração procedem as más intenções, os assassínios, os adultérios, as prostituições, os roubos, os falsos testemunhos e as blasfémias. 20É isto que torna o homem impuro. Mas comer com as mãos por lavar não torna o homem impuro.»


A fé de uma cananeia (Mc 7,24-30) - 21Jesus partiu dali e retirou-se para os lados de Tiro e de Sídon. 22Então, uma cananeia, que viera daquela região, começou a gritar: «Senhor, Filho de David, tem misericórdia de mim! Minha filha está cruelmente atormentada por um demónio.» 23Mas Ele não lhe respondeu nem uma palavra. Os discípulos aproximaram-se e pediram-lhe com insistência: «Despacha-a, porque ela persegue-nos com os seus gritos.» 24Jesus replicou: «Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.»

25Mas a mulher veio prostrar-se diante dele, dizendo: «Socorre-me, Senhor.» 26Ele respondeu-lhe: «Não é justo que se tome o pão dos filhos para o lançar aos cachorros.» 27Retorquiu ela: «É verdade, Senhor, mas até os cachorros comem as migalhas que caem da mesa de seus donos.» 28Então, Jesus respondeu-lhe: «Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se como desejas.» E, a partir desse instante, a filha dela achou-se curada.


Curas junto do lago (Mc 7,31-37) - 29Partindo dali, Jesus foi para junto do mar da Galileia. Subiu ao monte e sentou-se. 30Vieram ter com Ele numerosas multidões, transportando coxos, cegos, aleijados, mudos e muitos outros, que lançavam a seus pés. Ele curou-os, 31de modo que as multidões ficaram maravilhadas ao ver os mudos a falar, os aleijados escorreitos, os coxos a andar e os cegos com vista. E davam glória ao Deus de Israel.


Jesus alimenta quatro mil pessoas (14,13-21; Mc 6,34-44; 8,1-9; Lc 9,10-17; Jo 6,1-14) - 32Jesus, chamando os discípulos, disse-lhes: «Tenho compaixão desta gente, porque há já três dias que está comigo e não tem que comer. Não quero despedi-los em jejum, pois receio que desfaleçam pelo caminho.» 33Os discípulos disseram-lhe: «Onde iremos buscar, num deserto, pães suficientes para saciar tão grande multidão?» 34Jesus perguntou-lhes: «Quantos pães tendes?» Responderam: «Sete, e alguns peixinhos.»

35Ordenou à multidão que se sentasse. 36Tomou os sete pães e os peixes, deu graças, partiu-os e dava-os aos discípulos, e estes, à multidão. 37Todos comeram e ficaram sacia-dos; e, com os bocados que sobejaram, encheram sete cestos. 38Ora, os que comeram eram quatro mil homens, sem contar mulheres e crianças.

39Depois de ter despedido a multidão, Jesus subiu para o barco e veio para a região de Magadan.



Capítulos

Mt 1 Mt 2 Mt 3 Mt 4 Mt 5 Mt 6 Mt 7 Mt 8 Mt 9 Mt 10 Mt 11 Mt 12 Mt 13 Mt 14 Mt 15 Mt 16 Mt 17 Mt 18 Mt 19 Mt 20 Mt 21 Mt 22 Mt 23 Mt 24 Mt 25 Mt 26 Mt 27 Mt 28

Ferramentas pessoais