Sir 6

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Perigos de orgulho

1Pois a má reputação produz vergonha e ignomínia;

assim acontece com o pecador de palavra dúplice.

2Não te entregues ao excesso da tua paixão,

não suceda que a tua força vital se abata como um touro.

3Devorarias as tuas folhas e destruirias os teus frutos,

para depois ficares como uma árvore seca.

4Uma paixão má perde aquele que a possui;

torna-o motivo de alegria para os seus inimigos.


A verdadeira amizade

5Palavras amáveis multiplicam os amigos,

a linguagem afável atrai muitas respostas agradáveis.

6Procura estar de bem com muitos,

mas escolhe para conselheiro um entre mil.

7Se queres ter um amigo, põe-no primeiro à prova,

não confies nele muito depressa.

8Com efeito, há amigos de ocasião,

que não são fiéis no dia da tribulação.

9Há amigo que se torna inimigo,

que desvendará as tuas fraquezas, para tua vergonha.

10Há amigo que só o é para a mesa,

e que deixará de o ser no dia da desgraça;

11na tua prosperidade mostra-se igual a ti,

dirigindo-se com à vontade aos teus servos;

12mas, se te colhe o infortúnio, volta-se contra ti,

e oculta-se da tua presença.

13Afasta-te daqueles que são teus inimigos,

e está alerta com os teus amigos.


O verdadeiro amigo é um tesouro

14Um amigo fiel é uma poderosa protecção;

quem o encontrou, descobriu um tesouro.

15Nada se pode comparar a um amigo fiel,

e nada se iguala ao seu valor.

16Um amigo fiel é um bálsamo de vida;

os que temem o Senhor acharão tal amigo.

17O que teme o Senhor terá também boas amizades,

porque o seu amigo será semelhante a ele.


Para adquirir a sabedoria

18Filho, recebe a instrução desde a tua juventude,

e adquirirás uma sabedoria que durará até à velhice.

19Vai ao encontro da sabedoria como quem lavra e semeia,

e espera pacientemente os seus bons frutos,

porque terás um pouco de fadiga em seu cultivo,

mas em breve comerás dos seus produtos.

20Como é áspera e austera para os ignorantes!

O insensato não permanecerá junto dela.

21Ela ser-lhe-á pesada como uma pedra de provação,

e não tardará em desfazer-se dela.

22A sabedoria é fiel ao seu nome,

não é a um grande número que ela se manifesta.

23Ouve, filho, aceita o meu parecer,

não rejeites a minha advertência.

24Mete os teus pés nos seus grilhões,

e o teu pescoço nas suas correntes.

25Inclina o teu ombro e carrega-a,

não te aborreças com as suas cadeias.

26Aproxima-te dela com todo o teu coração,

guarda os seus caminhos com todas as tuas forças.

27Segue-lhe os passos, procura-a

e ela se dará a conhecer;

possuindo-a, não a deixes mais,

28pois acharás nela, finalmente, o teu repouso,

e transformar-se-á para ti em alegria.

29Então, os seus grilhões serão para ti robusta protecção,

e as suas cadeias, um manto de glória.

30O seu jugo será um ornamento de ouro,

e os seus laços, cordões de púrpura.

31Hás-de revestir-te dela como de um manto de glória,

como luzente diadema a cingirás.

32Filho, se quiseres, serás instruído;

se aplicares o teu espírito, tornar-te-ás hábil.

33Se a ouvires de boa vontade, receberás a doutrina,

se prestares atenção, serás sábio.

34Frequenta a assembleia dos anciãos;

se encontrares algum sábio, faz-te amigo dele.

35Ouve de bom grado toda a palavra que vem de Deus,

e não te escapem as máximas sensatas.

36Se vires alguém sensato, madruga e vai ter com ele,

e desgastem os teus pés o limiar da sua porta.

37Fixa a tua atenção nos preceitos de Deus,

medita continuamente os seus mandamentos.

Ele mesmo fortificará o teu coração,

e ser-te-á concedida a sabedoria que desejas.



Capítulos

Sir 1 Sir 2 Sir 3 Sir 4 Sir 5 Sir 6 Sir 7 Sir 8 Sir 9 Sir 10 Sir 11 Sir 12 Sir 13 Sir 14 Sir 15 Sir 16 Sir 17 Sir 18 Sir 19 Sir 20 Sir 21 Sir 22 Sir 23 Sir 24 Sir 25 Sir 26 Sir 27 Sir 28 Sir 29 Sir 30 Sir 31 Sir 32 Sir 33 Sir 34 Sir 35 Sir 36 Sir 37 Sir 38 Sir 39 Sir 40 Sir 41 Sir 42 Sir 43 Sir 44 Sir 45 Sir 46 Sir 47 Sir 48 Sir 49 Sir 50 Sir 51