Is 63

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

O terrível vingador

1Quem é esse que vem de Edom, de Bosra, com as vestes tingidas de verme­lho? Quem é esse magnificamente ves­tido e que avança cheio de força? – Sou Eu, o que pronuncio a ver­dadeira justiça, e sou poderoso para salvar. 2– Porque é que as tuas vestes estão vermelhas, e a tua túnica como quem pisa no lagar? 3– Trabalhei sozinho no lagar, e ninguém entre os povos me au­xiliou. Pisei os povos com a minha ira, esmaguei-os com o meu furor. O seu sangue salpicou as minhas vestes, com ele manchei todas as minhas roupas. 4É que este é o dia em que decidi vingar-me; chegou o ano do meu resgate. 5Procurei, mas não havia nin­guém para me auxiliar. Fiquei espantado por não haver ninguém para me ajudar. O meu braço, porém, me deu a vitória, e o meu furor foi o meu apoio. 6Esmaguei os povos na minha ira, embriaguei-os no meu furor e fiz correr o seu sangue pela terra.


Meditação histórica (Sl 77,12-21)

7Vou recordar as misericórdias do Senhor, os seus feitos gloriosos, tudo quanto fez por nós o Se­nhor, toda a sua bondade para com o povo de Israel, tudo o que fez por eles na sua benignidade, e com a sua imensa bondade. 8Ele disse: «Verdadeiramente este é o meu povo, filhos que não me renegarão.» E foi para eles um salvador. 9Em todas as suas aflições, não foi um mensageiro nem um enviado que os redimiu, mas foi Ele em pessoa. Com o seu amor e ternura livrou-os do perigo, sustentou-os e amparou-os cons­tantemente nos tempos antigos. 10Mas eles revoltaram-se e ofenderam o seu santo espírito; então tornou-se seu inimigo e fez-lhes guerra. 11E o povo lembrou-se dos dias de outrora, nos tempos de Moisés: «Onde está aquele que tirou das ondas o pastor do seu reba­nho? Onde está aquele que pôs no meio deles o seu santo espírito? 12Era Ele que avançava à direita de Moisés, guiando-o com o seu braço glo­rioso. Aquele que, diante deles, dividiu as águas, adquirindo para si um nome eterno. 13Aquele que os conduziu pelo meio do oceano, como a um cavalo pelo deserto, sem nunca os deixar tropeçar. 14Eram como o gado que desce pelo vale, e que o espírito do Senhor con­duzia ao lugar de repouso.» Foi assim que Tu conduziste o teu povo, conquistando para ti um nome glorioso.


Oração de súplica ao Céu

15Lá do alto dos céus, repara, e contempla da tua santa e glo­riosa morada. Onde estão o teu zelo e a tua va­lentia? Onde está a emoção das tuas en­tranhas? Já se esgotaram as tuas ternuras para comigo? 16Mas Tu és o nosso pai! Pois Abraão não nos conhece e Israel também nos ignora. Só Tu, Senhor, és o nosso pai, e o teu nome, desde sempre, é «Re­dentor-nosso.» 17Porquê, Senhor, nos deixas extra­viar dos teus caminhos? Porque permites que o nosso cora­ção se endureça para não te res­pei­tar? Volta-te para nós, por amor dos teus servos, e das tribos da tua herança! 18Por que razão o tirano se apo­dera do teu povo santo, e os nossos inimigos pisam o teu santuário? 19Somos, desde há muito, um povo que Tu não governas, que não é designado pelo teu nome.


Lamentação e súplica

Quem dera que rasgasses os céus e descesses, derretendo os montes com a tua presença,



Capítulos

Is 1 Is 2 Is 3 Is 4 Is 5 Is 6 Is 7 Is 8 Is 9 Is 10 Is 11 Is 12 Is 13 Is 14 Is 15 Is 16 Is 17 Is 18 Is 19 Is 20 Is 21 Is 22 Is 23 Is 24 Is 25 Is 26 Is 27 Is 28 Is 29 Is 30 Is 31 Is 32 Is 33 Is 34 Is 35 Is 36 Is 37 Is 38 Is 39 Is 40 Is 41 Is 42 Is 43 Is 44 Is 45 Is 46 Is 47 Is 48 Is 49 Is 50 Is 51 Is 52 Is 53 Is 54 Is 55 Is 56 Is 57 Is 58 Is 59 Is 60 Is 61 Is 62 Is 63 Is 64 Is 65 Is 66