Gn 31

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Fuga de Jacob1E Jacob ouviu as palavras dos filhos de Labão, que diziam: «Jacob apoderou-se de tudo o que era do nosso pai, e foi com os bens do nosso pai que acumulou toda esta riqueza.»

2Jacob observou também, pela fisionomia de Labão, que este não tinha para com ele os mesmos sentimentos de antes. 3E o SENHOR disse a Jacob: «Volta para o país dos teus pais, para a tua terra natal; Eu estarei contigo.» 4Então, Jacob mandou vir Raquel e Lia ao campo, junto do seu rebanho, 5e disse-lhes: «Vejo, pelo semblante de vosso pai, que ele não é para mim o mesmo que era dantes; mas o Deus de meu pai está comigo. 6Sabeis que servi o vosso pai com todas as minhas forças, 7ao passo que ele zombou de mim, mudando dez vezes o meu salário; mas Deus não permitiu que ele me prejudicasse. 8Se ele dizia: ‘Os animais malhados serão o teu salário’, todo o gado produzia animais malhados. E se ele dizia: ‘Os animais listrados serão o teu salário’, todo o gado produzia animais listrados. 9Deus tomou o rebanho de vosso pai e deu-mo. 10No tempo em que os rebanhos andam excitados, ergui os olhos e vi em sonhos que os machos, que fecundavam o gado, eram listrados, malhados e com manchas. 11E um enviado do SENHOR disse-me em sonho: ‘Jacob!’ ao que respondi: ‘Eis-me aqui.’ 12Ele continuou: ‘Levanta os olhos e vê; todos os animais que fecundam o gado são listrados, malhados e com manchas, porque Eu vi o que Labão te fez. 13Eu sou o Deus de Betel, onde ergueste e consagraste um monumento, onde pronunciaste um voto em minha honra. Agora levanta-te, sai deste país e regressa à terra em que nasceste.’»

14Raquel e Lia responderam, dizendo: «Existe para nós uma herança na casa do nosso pai? 15Não somos consideradas como estranhas para ele? Depois de nos ter vendido, devorou todos os nossos bens. 16Além disso, a fortuna que Deus retirou a nosso pai é nossa e dos nossos filhos. Faz, então, tudo o que Deus te disse.»

17Jacob preparou-se e mandou que as suas mulheres e os seus filhos montassem sobre os camelos; 18levou todo o seu gado e todos os bens que juntara, tudo o que lhe pertencia e que adquirira no território de Padan-Aram, e partiu para junto de seu pai Isaac, para o país de Canaã. 19E como Labão fora fazer a tosquia das suas ovelhas, Raquel roubou os deuses familiares de seu pai.

20Jacob enganou assim Labão, o arameu, e fugiu sem lhe dizer nada. 21Fugiu com tudo o que lhe pertencia; atravessou o rio e, depois, dirigiu-se para a montanha de Guilead.

22Três dias depois, disseram a Labão que Jacob tinha fugido; 23ele tomou consigo os seus parentes e perseguiu-o durante sete dias de marcha, alcançando-o na montanha de Guilead. 24Mas Deus visitou Labão, o arameu, num sonho nocturno, e disse-lhe: «Livra-te de pedir explicações a Jacob, seja sobre o que for, a bem ou a mal.» 25Labão aproximou-se de Jacob, que tinha levantado a sua tenda sobre a montanha, enquanto Labão dispôs os seus irmãos sobre a mesma montanha de Guilead.


Duelo de palavras26Labão disse a Jacob: «Que fizeste? Enganaste-me e levaste-me as minhas filhas como prisioneiras de guerra! 27Porque fugiste furtivamente, enganando-me, em lugar de me avisar? Ter-te-ia despedido com alegria e cânticos, ao som de tambores e da cítara! 28Nem me deixaste abraçar os meus filhos e as minhas filhas! Na verdade, agiste como um insensato. 29A minha mão é suficientemente forte para fazer-vos mal; mas o Deus do vosso pai falou-me esta noite, dizendo: ‘Livra-te de pedir explicações a Jacob, seja a bem ou a mal.’ 30Vais-te porque tinhas saudades da casa de teu pai. Mas porque roubaste os meus deuses?»

31Jacob respondeu a Labão: «Tive medo de te avisar, pois pensei que me tirarias as tuas filhas. 32Quanto àquele que estiver na posse dos teus deuses, esse não viverá! Examina, tu mesmo, tudo o que está comigo e recupera aquilo que te pertence.» Jacob não sabia que era Raquel que tinha roubado os deuses familiares.

33Labão entrou na tenda de Jacob, na de Lia, na das duas escravas, e não os encontrou. Saindo da tenda de Lia, entrou na de Raquel. 34Mas esta pegara nos deuses familiares, escondera-os na sela do camelo e sentara-se em cima. Labão procurou em toda a tenda e não os encontrou. 35E Raquel disse ao pai: «Que o meu senhor não se ofenda, se não posso levantar-me diante de ti, por causa do incómodo habitual das mulheres.» Ele continuou a procurar, mas não encontrou os deuses familiares.

36E Jacob ficou encolerizado e censurou Labão. Dirigindo-se a ele, disse: «Qual é o meu crime, qual é a minha falta, para que assim te irrites contra mim? 37Depois de revistar todas as minhas bagagens, encontraste alguma coisa que pertença à tua casa? Apresenta-o aqui, diante dos meus irmãos e dos teus, e que eles sejam juízes entre nós dois. 38Passei vinte anos contigo; nem as tuas ovelhas nem as tuas cabras abortaram e não comi os carneiros do teu rebanho. 39Não te entreguei nenhum animal despedaçado pelas feras: fui eu próprio que sofri esse prejuízo, pois tu fizeste-me pagar o que foi roubado de dia e o que foi roubado de noite. 40Durante o dia, eu era consumido pelo calor, durante a noite, pelo frio, e o sono fugia dos meus olhos. 41Passei assim vinte anos na tua casa! Servi-te catorze anos pelas tuas duas filhas, e seis anos pelo teu rebanho; mas tu trocaste dez vezes o meu salário. 42Se o Deus de meu pai, o Deus de Abraão e o que Isaac venera, não me ajudasse, com certeza ter-me-ias deixado partir de mãos vazias. Mas Deus viu a minha humilhação e o trabalho das minhas mãos e pronunciou a sentença ontem à noite.»

43Labão respondeu a Jacob: «Estas filhas são minhas filhas, estes filhos são meus filhos, este gado é o meu gado; tudo o que vês me pertence. Que farei eu agora pelas filhas e pelos filhos que elas tiveram? 44Façamos, então, uma aliança, que será um testemunho entre nós.»

45Jacob tomou uma pedra e levantou um monumento. 46E disse aos irmãos: «Juntai pedras.» Eles pegaram em pedras, puseram-nas em monte e comeram junto daquele monte de pedras. 47Labão chamou-lhe Jegar-Saduta, e Jacob chamou-lhe Galed.

48E Labão disse: «Este monte de pedras, a partir de hoje, é um testemunho entre nós os dois.» Por isso, lhe chamou Galed. 49E também Mispá, porque disse: «O SENHOR estará vigilante entre nós dois, quando nos separarmos um do outro. 50Se maltratares as minhas filhas e tomares outras esposas além delas, embora ninguém esteja connosco, recorda-te de que Deus é testemunha entre mim e ti.» 51Labão disse ainda a Jacob: «Vês este monte de pedras e este monumento que pus entre nós os dois? 52Sirva este monte de pedras e este monumento, de testemunha de que nem eu os transporei para aí nem tu os transporás para aqui, para fazer algum mal. 53Que o Deus de Abraão, o Deus de Naor, o Deus de cada um deles seja juiz entre nós!»

E Jacob jurou pelo Deus que venerava seu pai Isaac. 54Jacob sacrificou animais sobre a montanha e convidou os seus irmãos para o banquete. Tomaram parte nele e passaram a noite sobre a montanha.



Capítulos

Gn 1 Gn 2 Gn 3 Gn 4 Gn 5 Gn 6 Gn 7 Gn 8 Gn 9 Gn 10 Gn 11 Gn 12 Gn 13 Gn 14 Gn 15 Gn 16 Gn 17 Gn 18 Gn 19 Gn 20 Gn 21 Gn 22 Gn 23 Gn 24 Gn 25 Gn 26 Gn 27 Gn 28 Gn 29 Gn 30 Gn 31 Gn 32 Gn 33 Gn 34 Gn 35 Gn 36 Gn 37 Gn 38 Gn 39 Gn 40 Gn 41 Gn 42 Gn 43 Gn 44 Gn 45 Gn 46 Gn 47 Gn 48 Gn 49 Gn 50