Ap 13

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Segundo sinal: a Besta marítima (Dn 7,1-8) - 1Depois vi uma Besta que subia do mar. Tinha dez chifres e sete cabeças; sobre os chifres tinha sete coroas, e sobre as cabeças tinha nomes blasfemos. 2Vi que a Besta era semelhante a um leopardo; as suas patas eram semelhantes às do urso e a sua boca era como a do leão. O Dragão deu-lhe a sua própria força, o seu trono e grande poder.

3Uma das suas cabeças parecia ferida de morte; mas a ferida mortal tinha sido curada. E, maravilhados, todos os habitantes da terra foram atrás da Besta. 4E adoraram o Dragão porque tinha dado o seu poder à Besta. E adoraram também a Besta, aclamando:

«Quem semelhante à Besta?
E quem poderá lutar contra ela?»

5E foi-lhe dada uma boca para proferir palavras eloquentes e blasfemas. Deram-lhe também o poder de agir durante quarenta e dois meses. 6Então, abriu a boca para proferir blasfémias contra Deus, contra o seu nome, contra a sua morada e contra os que têm morada no céu.

7Foi-lhe dado, ainda, o poder de fazer guerra contra os santos e de os vencer, assim como o poder sobre todas as tribos, povos, línguas e nações. 8E adoraram-na todos os habitantes da terra, aqueles cujos nomes não estão escritos, desde o princípio do mundo, no livro da Vida do Cordeiro, que foi imolado.»

9Quem tem ouvidos, ouça:
10O que está destinado ao cativeiro,
irá para o cativeiro;
se alguém matar pela espada,
pela espada morrerá.
Aqui está a constância e a fé dos santos.


Terceiro sinal: a Besta terrestre - 11Vi ainda outra Besta que subia da terra; tinha dois chifres como um cordeiro, mas falava como um dragão. 12Tinha todo o poder da primeira Besta e exercia-o na sua presença. Obrigava todo o mundo e os seus habitantes a adorar a primeira Besta - a que tinha sido curada da ferida mortal. 13E realizava maravilhosos prodígios; até mesmo o de fazer descer fogo do céu, à vista dos homens. 14Com o poder que tinha de realizar prodígios na presença da Besta, enganava os habitantes da terra, incitando-os a fabricar uma estátua da Besta que fora ferida pela espada, mas tinha sobrevivido. 15Até lhe foi dado o poder de dar vida à estátua da Besta, a ponto de ela falar e dar a morte a quantos não adorassem a estátua da Besta.

16E a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, marcou-os com um sinal na mão direita ou na fronte. 17E assim, quem não tivesse o sinal, o nome da Besta ou o número do seu nome não podia comprar nem vender.

18Aqui é preciso sabedoria: o que é inteligente decifre o número da Besta, que é um número de homem; o seu número é seiscentos e sessenta e seis.



Capítulos

Ap 1 Ap 2 Ap 3 Ap 4 Ap 5 Ap 6 Ap 7 Ap 8 Ap 9 Ap 10 Ap 11 Ap 12 Ap 13 Ap 14 Ap 15 Ap 16 Ap 17 Ap 18 Ap 19 Ap 20 Ap 21 Ap 22