2 Cr 35

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Celebração solene da Pás­coa (Ex 12,1-28; 2 Rs 23,21-23) – 1Jo­sias celebrou em Jerusalém a Pás­coa do Senhor. Imolaram esta Páscoa no décimo quarto dia do pri­meiro mês. 2Restabeleceu os sacer­dotes nas suas funções e animou-os a cumpri­rem o seu ministério no tem­plo do Se­nhor. 3Disse aos levitas que instruíam todo o Israel e que es­ta­vam consagrados ao Senhor:

«De­po­sitai a Arca santa no templo construído por Salomão, filho de Da­vid, rei de Israel. Não mais tereis de a transportar sobre os vos­sos ombros. Agora permanecereis ao serviço do Senhor, vosso Deus, e do seu povo de Israel. 4Organizai-vos segundo a or­dem das vossas famí­lias e das vossas classes, conforme as pres­crições de David, rei de Is­rael, e de Salomão, seu filho. 5Ocu­pai os vos­sos lugares no santuário, por tur­nos, ao serviço das famílias patriarcais e de vossos irmãos: um turno de levi­tas para cada família patriarcal. 6Imo­lareis a Pás­coa e san­tificar-vos-eis, a fim de a pre­parar para os vossos irmãos, con­forme a palavra do Se­nhor transmitida por Moisés.»

7Jo­sias deu ao povo, a todos quan­tos ali se encontravam, gado miúdo, cor­dei­ros e cabritos em número de trinta mil, tudo para a Páscoa, e acres­­­cen­tou três mil bois, tudo tirado do pa­trimónio real. 8Os funcionários do rei deram também, espon­tanea­mente, presentes ao povo, aos sacerdotes e aos levitas. Hil­quias, Zacarias e Jaiel, prefeitos do templo de Deus, deram aos sacer­do­tes, para a Páscoa, dois mil e seis­centos cordeiros e trezen­tos bois. 9Cananias, Chemaías e Nata­nael, seus irmãos, Hasabias, Jeiel e Joza­bad, chefes dos levitas, deram aos levitas, para a Páscoa, cinco mil cor­deiros e quinhentos bois.

10O serviço foi preparado do se­guinte modo: os sacerdotes toma­ram o seu lugar e os levitas as suas fun­ções, segundo a ordem que o rei deter­minara. 11Imolaram o cordeiro pascal: os sacerdotes derramavam o sangue que recebiam das mãos dos levitas, enquanto estes esfolavam as víti­mas. 12Puseram à parte os holocaustos para os dar aos grupos das famílias do povo, para que os oferecessem ao Senhor, como está prescrito no livro de Moisés. Fize­ram o mesmo com os bois. 13De acor­do com o rito pres­crito, assaram o cordeiro pascal no fogo. Cozeram as oferendas consagradas em panelas, caldeirões e sertãs e de­pois distri­buíram-nas a todo o povo. 14Em se­guida prepararam tudo para si e para os sacerdotes, pois os sacer­­do­tes, filhos de Aarão, estiveram ocu­pa­dos até à noite em oferecer os holo­­caustos e as gorduras; por isso, os levitas prepararam as carnes para si mesmos e para os sacerdotes, filhos de Aarão. 15Os cantores, filhos de Asaf, estavam no seu posto, segundo as disposições de David, de Asaf, de Heman e de Jedutun, vi­dente do rei. Os porteiros estavam cada um na sua porta; não preci­saram de aban­donar o seu posto, porque os seus irmãos, os levitas, prepararam tudo para eles. 16Assim se organizou na­quele dia todo o serviço do Senhor segundo a ordem do rei Josias, para celebrar a Páscoa e oferecer os holo­caustos no altar do Senhor.

17Os fi­lhos de Israel ali pre­sentes cele­bra­ram naquela data a Páscoa e a festa dos Ázimos, du­rante sete dias. 18Ne­nhuma Páscoa seme­lhante a esta fora celebrada em Israel, desde o tempo do profeta Samuel; nenhum rei de Israel cele­brara uma Páscoa semelhante àque­la que celebraram Josias, os sacer­dotes e os levitas, com todos os de Judá e Israel ali pre­sen­tes e os ha­bi­tantes de Jerusalém. 19Foi no dé­cimo oitavo ano do rei­nado de Josias que se celebrou esta Páscoa.


Fim do reinado de Josias (2 Rs 23,28-30) – 20Depois de tudo isto e da reparação do templo feita por Josias, Necao, rei do Egipto, mar­chou sobre Carquémis, pelo Eufrates, com uma expedição militar. Josias saiu-lhe ao encontro. 21Necao enviou-lhe mensa­­gei­ros para lhe dizer: «Não tenho nada a ver contigo, rei de Judá! Hoje não venho contra ti, mas contra uma dinastia com a qual estou em guerra. E Deus disse-me que me apres­sasse. Não te oponhas a Deus, que está co­migo, pois Ele deitar-te-á a perder.»

22Mas Josias não quis voltar atrás, porque pro­curava uma ocasião para o atacar. Longe de escutar as pala­vras de Ne­cao, vindas da boca de Deus, atacou-o na passagem de Me­guido. 23Os arqueiros dispararam sobre o rei Jo­sias, e o rei disse aos seus sol­da­dos: «Levai-me, porque estou gra­ve­­mente ferido.» 24Eles tiraram-no do seu carro, colocaram-no num outro que ali havia e levaram-no para Je­rusalém. Morreu e foi sepul­tado no sepulcro de seus pais. Jo­sias foi cho­rado por todos os habi­tantes de Judá e Jerusalém.

25Jeremias compôs uma lamen­ta­ção fúnebre sobre Josias. Todos os cantores e cantoras repetem ainda hoje as suas lamentações; isto tor­nou-se lei para Israel. Estes cantos fúnebres estão escritos nas Lamen­tações. 26Os outros actos de Josias, as suas boas obras, segundo o que está escrito na Lei do Senhor, 27os seus feitos e façanhas, dos primei­ros aos últimos, tudo isso está escri­to no Livro dos Reis de Israel e de Judá.



Capítulos

2 Cr 1 2 Cr 2 2 Cr 3 2 Cr 4 2 Cr 5 2 Cr 6 2 Cr 7 2 Cr 8 2 Cr 9 2 Cr 10 2 Cr 11 2 Cr 12 2 Cr 13 2 Cr 14 2 Cr 15 2 Cr 16 2 Cr 17 2 Cr 18 2 Cr 19 2 Cr 20 2 Cr 21 2 Cr 22 2 Cr 23 2 Cr 24 2 Cr 25 2 Cr 26 2 Cr 27 2 Cr 28 2 Cr 29 2 Cr 30 2 Cr 31 2 Cr 32 2 Cr 33 2 Cr 34 2 Cr 35 2 Cr 36