2 Cr 31

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Reforma do culto1 Quan­do tudo isto terminou, os israe­litas presentes saíram para as cida­des de Judá e despedaçaram as este­las, derrubaram os troncos sa­gra­dos, destruíram os lugares altos e os altares em toda a região de Judá, Ben­jamim, Efraim e Manas­sés. Foi uma destruição total. De­pois, os is­rae­litas regressaram cada qual à sua cidade e à sua casa.


Os sacerdotes2Ezequias resta­beleceu as classes dos sacerdotes e dos levitas, segundo os seus turnos, cada um com a sua função própria, tanto para os holocaustos e sacrifí­cios de comunhão como para o ser­viço do culto, da acção de graças e dos louvores e na guarda das portas da morada do Senhor. 3O rei tam­bém reser­vou uma parte dos seus bens para os holocaustos da manhã e da tarde, dos sábados, da festa da Lua-nova e das solenidades, conforme a prescrição da Lei do Se­nhor. 4Or­denou ao povo que habi­tava em Jeru­salém que entregas­se aos sacerdo­tes e levitas o que lhes era devido, a fim de se consa­grarem totalmente à Lei do Senhor. 5Logo que esta or­dem foi promul­gada, os israelitas multiplicaram as oferendas das pri­mícias do trigo, do vinho, do azeite, do mel e de todos os produtos do campo, e ofereceram generosa­mente o dízimo de tudo o que produz a terra. 6Os israelitas e os que habi­ta­vam nas cidades de Judá também trou­xe­ram o dízimo dos bois e das ove­­lhas, assim como o dízimo das coi­sas santas consagra­das ao Senhor, seu Deus. De tudo isso deram grandes quantidades. 7Esta acumulação co­me­çou no ter­ceiro mês e só acabou no sétimo. 8Então, Ezequias e os seus fun­cio­nários, vendo essas quan­ti­dades, louvaram o Senhor e o seu povo de Israel. 9Ezequias fez per­gun­tas aos sacerdotes e levitas acerca dessas quantidades. 10O Sumo Sa­cer­dote Azarias, da linhagem de Sadoc, respondeu-lhe: «Desde que começa­ram a trazer estas oferendas ao tem­plo do Senhor, temos matado a nossa fome e ainda sobra muito. O Se­nhor abençoou o seu povo. Esta grande quantidade é o que sobra.»

11Ezequias deu ordem de se pre­pa­rarem celeiros no templo do Se­nhor, e a ordem foi cumprida. 12Ne­les foram fielmente guardadas as ofe­rendas, os dízimos e as coisas con­­sagradas. Para esta tarefa, foi no­meado intendente o levita Cana­nias, auxiliado por seu irmão Chi­mei. 13Sob a sua direcção, Jaiel, Aza­rias, Naat, Asael, Jerimot, Joza­bad, Eliel, Jismaquias, Maat e Benaías exer­ciam o ofício de vigilantes, por man­dato do rei Ezequias e de Aza­rias, intendente do templo de Deus.

14O levita Coré, filho do levita Jimna, guarda da porta oriental, es­tava en­carregado dos dons voluntá­rios feitos a Deus, da distribuição da par­te re­ser­vada do Senhor, e das coi­sas mais sagradas. 15Estavam às suas ordens nas cidades sacerdo­tais: Éden, Mi­nia­min, Jesua, Che­maías, Amarias e Che­­­­canias que ti­nham a missão de distribuir a cada um, equi­tati­va­mente, a sua parte, segundo as suas clas­ses, sem dife­rença entre gran­­des e pequenos. 16Fa­ziam a dis­tri­buição a todos os que vinham ao templo do Senhor para o serviço quo­­tidiano, conforme as suas funções e classes, desde que estivessem ins­cri­tos nos registos, da idade de três anos para cima. 17A inscrição dos sacer­do­tes era feita segundo as suas famí­lias, e a dos levitas desde a idade de vinte anos para cima, segundo as suas funções e classes. 18A inscrição valia para toda a família: mulheres, fi­lhos e fi­lhas, e para toda a assem­bleia, des­de que estivessem fiel­mente san­tifi­cados. 19Quanto aos sacerdo­tes da linhagem de Aarão que moravam no campo, nos arredores das cida­des sacerdotais, havia em cada locali­dade homens nomeados para distri­buir as porções a todo o varão da estirpe sa­cerdotal e dos levitas devi­damente inscritos.

20Foram estas as medidas toma­das por Ezequias em todo o territó­rio de Judá. Praticou o que era bom, recto e fiel diante do Senhor, seu Deus. 21Em tudo o que empreendeu para o serviço do templo de Deus, da Lei e das prescrições, não procu­rou senão a vontade de Deus, pondo na sua acção todo o seu coração. E foi bem sucedido.



Capítulos

2 Cr 1 2 Cr 2 2 Cr 3 2 Cr 4 2 Cr 5 2 Cr 6 2 Cr 7 2 Cr 8 2 Cr 9 2 Cr 10 2 Cr 11 2 Cr 12 2 Cr 13 2 Cr 14 2 Cr 15 2 Cr 16 2 Cr 17 2 Cr 18 2 Cr 19 2 Cr 20 2 Cr 21 2 Cr 22 2 Cr 23 2 Cr 24 2 Cr 25 2 Cr 26 2 Cr 27 2 Cr 28 2 Cr 29 2 Cr 30 2 Cr 31 2 Cr 32 2 Cr 33 2 Cr 34 2 Cr 35 2 Cr 36