2 Cr 28

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Reinado de Acaz em Judá (735-716) (2 Rs 16,2-20) – 1Acaz tinha vinte anos quando começou a reinar. Reinou dezasseis anos em Jerusalém. Não praticou o que é recto aos olhos do Senhor, como David, seu pai, 2mas seguiu as pegadas dos reis de Israel. Fez mesmo imagens de metal em honra de Baal. 3Quei­mou perfumes no vale de Ben-Hinom e fez passar os seus filhos pelo fogo, segundo o abominável costume das nações que o Senhor havia expul­sado diante dos israelitas. 4Oferecia sacrifícios e perfumes sobre os luga­res altos, sobre as colinas e debaixo de toda a árvore verdejante.


Guerra siro-efraimita5O Se­nhor, seu Deus, entregou-o nas mãos do rei dos arameus. Estes derrota­ram-no, fizeram grande número de pri­sioneiros e deportaram-nos para Da­­masco. Também ele caiu nas mãos do rei de Israel, que lhe infligiu uma grande derrota. 6Pecá, filho de Re­malias, matou, num só dia, cento e vinte mil homens de Judá, todos guer­­reiros valorosos, porque tinham aban­donado o Senhor, Deus de seus pais. 7Zicri, um guerreiro de Efraim, matou Massaías, filho do rei, Azeri­cam, chefe do palácio, e Elcana, o segundo de­pois do rei. 8Os filhos de Israel fize­ram, entre os seus irmãos, duzentos mil prisio­neiros, incluindo mulheres, jovens e donzelas. Reco­lhe­ram tam­bém grandes despojos, que levaram para a Samaria.


O profeta Oded9Havia ali um profeta do Senhor, chamado Oded, que saiu ao encontro do exército que entrava na Samaria, e disse-lhes: «Vede: na sua ira contra os filhos de Judá, o Senhor, Deus dos vossos pais, entregou-os nas vossas mãos, mas vós tirastes-lhes a vida com tal fúria que a vossa crueldade subiu até ao céu. 10E agora pretendeis opri­mir os homens de Judá e Jerusalém até fa­zer deles vossos escravos e escra­vas. Porventura, entre vós não há tam­bém prevaricações contra o Se­nhor, vosso Deus? 11Escutai-me: Man­dai regressar os cativos que fizestes entre os vossos irmãos, pois ameaça-vos o ardor da ira do Se­nhor.»

12Levanta­ram-se, então, con­tra os que volta­vam da guerra, alguns dos chefes dos efrai­mitas. Eram eles Aza­rias, filho de Joanan, Baraquias, fi­lho de Mechi­le­mot, Eze­­quias, filho de Chalum, e Amassá, filho de Hadlai. 13E diziam-lhes: «Não introduzireis aqui esses cativos. Quereis que nos tornemos culpados diante do Se­nhor, e que aumente­mos, assim, as nos­sas faltas, já sufi­cientemente numero­sas? O ardor da ira do Senhor já ameaça Israel.»

14Então, na presença dos che­fes e da assembleia do povo, os sol­dados soltaram os presos e aban­do­na­ram os despojos. 15A seguir, os ho­mens, cu­­jos nomes acabaram de ser cita­dos, levantaram-se para recon­for­tar os cativos: revestiram com as ves­tes tiradas dos despojos aqueles que esta­vam nus, calçaram-nos, de­ram-lhes de comer e beber, trataram-lhes as feridas e conduziram-nos a Jericó, ci­dade das palmeiras, para junto dos seus irmãos, montando nos jumentos aqueles que se encon­tra­vam extenua­dos. Depois, regres­sa­ram à Samaria.


Pecado de Acaz16Naquele tem­po, o rei Acaz mandou pedir socorro aos reis da Assíria, 17pois os edomi­tas voltaram a combater Judá e a fazer prisioneiros. 18Os filisteus inva­­diram também as cidades da planí­cie e do Négueb que perten­ciam a Judá; to­maram Bet-Chémes, Aialon, Guede­rot, Socó e os seus arrabal­des, Timna e os seus arra­bal­des, Gui­mezô e os seus arrabal­des. E nelas se esta­be­le­ceram. 19Com efeito, o Senhor hu­mi­lhava Judá por causa do rei Acaz, que levara a dissolução a Judá e come­­tera graves delitos contra o Senhor.

20Tiglat-Falasar, rei da Assíria, em vez de lhe dar o seu apoio, mar­chou contra ele e cercou-o. 21Em vão Acaz despojara o templo do Se­nhor, o palá­cio real e os dignitários para enviar presentes ao rei da Assíria. De nada lhe valeu. 22Em­bora estivesse em afli­ções, o rei Acaz continuou a cometer os seus crimes contra o Se­nhor. 23O fe­receu mesmo sacrifícios aos deuses de Damasco, que o ha­viam derro­tado.

Dizia ele: «São os deuses dos reis dos arameus que os protegem; ofe­re­cer-lhes-ei, portanto, sacrifícios para que igual­mente me ajudem.» Eles, po­rém, foram a causa da sua queda e da ruína de todo o Israel. 24Acaz jun­tou todos os uten­sílios do templo de Deus e despeda­çou-os. Fechou as por­­tas do templo do Senhor, fabri­cou al­tares em todos os cruzamen­tos de Jeru­salém. 25Construiu luga­res altos em todas as cidades de Judá, para neles ofe­recer incenso aos deuses es­tran­gei­ros, provo­cando, assim, a ira do Senhor, Deus de seus pais.


Fim do reinado de Acaz26O resto dos seus actos, todos os seus feitos, dos primeiros aos últimos, tudo isso está escrito no Livro dos Reis de Judá e de Israel.

27Acaz ador­meceu com seus pais e foi sepultado na cidade de Jeru­salém, pois não o quiseram enterrar nos sepulcros dos reis de Is­rael. Seu filho Eze­quias sucedeu-lhe no trono.



Capítulos

2 Cr 1 2 Cr 2 2 Cr 3 2 Cr 4 2 Cr 5 2 Cr 6 2 Cr 7 2 Cr 8 2 Cr 9 2 Cr 10 2 Cr 11 2 Cr 12 2 Cr 13 2 Cr 14 2 Cr 15 2 Cr 16 2 Cr 17 2 Cr 18 2 Cr 19 2 Cr 20 2 Cr 21 2 Cr 22 2 Cr 23 2 Cr 24 2 Cr 25 2 Cr 26 2 Cr 27 2 Cr 28 2 Cr 29 2 Cr 30 2 Cr 31 2 Cr 32 2 Cr 33 2 Cr 34 2 Cr 35 2 Cr 36